O que está impulsionando o preço do Bitcoin? Os bancos centrais, diz reporter do Financial Times

O correspondente chefe do Financial Times para finanças internacionais argumentou que os bancos centrais podem ser ironicamente creditados como os responsáveis pela ascensão do preço do Bitcoin.

Em uma coluna do Nikkei Asian Review de 21 de agosto, Henry Sender disse que as políticas dovish dos bancos estão estimulando um crescente reconhecimento das criptomoedas como ativos de portos seguros.

Cobertura para grandes riscos macro com o Bitcoin

Os analistas antecipam mais anúncios dovish do Federal Reserve dos Estados Unidos na reunião do banco central deste ano em Jackson Hole, Wyoming, no final desta semana.

Em julho, o presidente do Fed, Jerome Powell, cortou as taxas de juros pela primeira vez em mais de uma década, dando continuidade ao tom dovish estabelecido pelo Banco Central Europeu.

Na China, o iuan caiu abaixo do nível de referência de 7 por um dólar americano em 5 de agosto e os títulos do governo continuam a ser atormentados pela volatilidade, com pouca garantia de rendimentos sólidos.

Neste contexto, Sender argumenta que as ações dos bancos centrais de economias desenvolvidas estão transformando o Bitcoin de um instrumento especulativo em um investimento sólido que pode ajudar a cobrir grandes riscos macro.

Ela cita um relatório da unidade de pesquisa da Grayscale Investments, que também argumentou que:

"O Bitcoin tem o potencial de ter um bom desempenho ao longo dos ciclos econômicos normais, assim como crises de liquidez, especialmente aquelas que envolvem desvalorizações [...] de moeda que [tem] características de armazenamento de valor similares a ativos reais como ouro, com atributos de dinheiro real, como sua imutável escassez".

De fato, a crescente correlação do Bitcoin com o metal precioso não passou despercebida - consolidando ainda mais seu apelido de “ouro digital”. Nos últimos três meses, a correlação entre os ativos quase dobrou.

Uma tempestade perfeita

Na China, um governo preocupado com o aumento da fuga de capitais considera que a criptomoeda está entre os canais para tais saídas. Isso — - juntamente com outros fatores — acelerou as ações do Banco Popular da China para desenvolver sua própria moeda digital de banco central, afirmam fontes privilegiadas.

De acordo com um especialista da Associação Informal de Bitcoin da China, as compras de criptomoedas dispararam 50% nos últimos meses, observa Sender - com a ressalva de que este número exato continua sendo difícil de verificar.

No início deste mês, a empresa de pesquisa de ativos digitais Delphi Digital publicou um relatório argumentando que a flexibilização monetária dos bancos centrais e o crescente risco de desvalorização monetária fiduciária provavelmente catalisariam o preço do Bitcoin e do ouro físico. Fatores macro estão criando a tempestade perfeita para inflamar a valorização da moeda, concluiu o relatório.

Anthony Pompliano, afirmou recentemente que a esperada virada dovish do Banco Central Europeu será “combustível de foguete” para o Bitcoin - uma visão que é compartilhada por aqueles no setor financeiro tradicional.