Deutsche Bank: ‘agressividade’ dos bancos centrais está tornando o Bitcoin mais atraente

O potencial corte nas taxas de juros pelo banco central dos Estados Unidos pode ser uma das razões para a recente disparada do Bitcoin (BTC), segundo o executivo do Deutsche Bank Jim Reid declarou em uma entrevista à CNBC em 26 de junho.

Reid, diretor de estratégia global de crédito fundamental do Deutsche Bank, disse:

“Se os bancos centrais continuarem agressivos desta forma, as moedas alternativas começam a se tornar mais atraentes."

Reid fez referência ao discurso recente do diretor do Fed Jerome Powell, que disse ontem que o banco central está considerando cortar taxas de juros diante da atual incerteza econômica e os riscos de inflação. Depois disso, o Dólar Americano (USD) caiu em comparação com outras moedas fiduciárias, registrando baixa de três meses contra o Euro (EUR), que supostamente foi desencadeada por expectativas de múltiplas taxas de juros reduzidas pelo Fed.

Enquanto isso, o Bitcoin continua a anotar novar marcas em 2019, agora acima dos US$ 12.000, enquanto a capitalização de mercado subiu para mais de US$ 220 bilhões, com a taxa de dominância chegando a 60% pela primeira vez desde abril de 2017, como noticiado hoje mais cedo.

Reid também notou que o recente aumento dos preços de criptos pode ter sido também causado pela expectativa pelo projeto cripto do Facebook, o Libra, que teve seu white paper lançado no dia 18 de junho. Desde então, o Bitcoin subiu mais de 30%, de US$ 9.000 para US $ 12.616, segundo dados do Coin360.

Na entrevista, Reid reinterou sua posição negativa em relação à flexibilização das práticas dos bancos centrais, depois de afirmar anteriormente que o atual sistema monetário fiduciário era instável e estaria chegando ao fim. Em declarações de novembro de 2017, na sequência do recorde histórico de US$ 20.000 do Bitcoin em dezembro daquele ano, Reid criticou a impressão contínua de dinheiro pelos bancos, alertando que isso poderia levar ao fim do papel-moeda.

Mas os Estados Unidos não estão sozinhos. Nas últimas semanas, o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, também sugeriu novos cortes nas taxas de juros.

"Adicione o 'halving' do Bitcoin de maio de 2020 e você terá a tempestade perfeita", twitou o fundador da Morgan Creek, Anthony Pompliano, no início deste mês.

“Corte as taxas.

Imprima dinheiro.

Torne o BTC mais escasso. ”

Ironicamente, o próprio Deutsche Bank poderia ser parcialmente responsabilizado pelo enfraquecimento da economia. As ações do banco estão caindo para baixas recordes no ano passado.