Facebook lança white paper da criptomoeda Libra

O gigante da mídia social Facebook lançou o white paper de seu tão aguardado projeto de infraestrutura financeira baseada em criptomoeda e blockchain no dia de hoje, 18 de junho.

De acordo com a publicação, a stablecoin global do Facebook, que foi batizada de “Libra”, vai operar na blockchain nativa e escalável Libra e será apoiada por uma reserva de ativos ostensivamente “projetados para lhe dar valor intrínseco” e mitigar flutuações de volatilidade.

Esses ativos consistem em uma cesta de depósitos bancários e títulos públicos de curto prazo que serão mantidos na Reserva Libra para cada libra emitida.

O site para o ativo digital, calibra.com, estava brevemente fora do ar por volta das 5 da manhã EST, mais ou menos quando ele foi ao ar.

A nova criptomoeda será governada por um consórcio sem fins lucrativos com sede na Suíça - a "Libra Association" - que conta com Mastercard, PayPal, Visa, Stripe, eBay, Coinbase, Andreessen Horowitz e Uber entre seus membros fundadores.

O Facebook planeja expandir a associação para cerca de 100 membros até o lançamento do Libra no primeiro semestre de 2020. O white paper observa que:

“Enquanto a autoridade decisória final depende da associação, espera-se que o Facebook mantenha a liderança até 2019. O Facebook criou a Calibra, uma subsidiária regulada, para garantir a separação entre dados sociais e financeiros e para construir e operar serviços em seu nome na rede Libra.”

A Libra Association é ela própria governada pelo Conselho da Libra Association. Inicialmente, os membros do conselho são os membros fundadores, sendo que cada um deles administra um nó validador na rede e, em especial, foi obrigado a fazer um investimento mínimo de US$ 10 milhões para marcar esta posição. Cada investimento de US$ 10 milhões garante a entidade com um voto no conselho, de acordo com o Facebook.

O Facebook também revelou o lançamento do Libra Investment Token - distinto de sua criptomoeda global orientada para o usuário Libra - que pode ser comprado ou distribuído como dividendos para os membros fundadores da associação e investidores credenciados.

Como o Libra não está tecnicamente vinculada a nenhuma moeda fiduciária nacional, o white paper afirma que os usuários nem sempre poderão resgatar o token por uma quantia fixa, embora o Facebook afirme que os ativos de reserva foram escolhidos de modo a minimizar a volatilidade.

Enquanto os ativos de reserva são ostensivamente detidos por “uma rede de custodiantes distribuída geograficamente”, a fim de garantir a descentralização, a reserva é administrada pela própria associação, que é a única parte capaz de cunhar e destruir a moeda.

O novo Libra é cunhado assim que os revendedores autorizados compram as moedas da associação com fiduciário suficiente para recuperar totalmente seu valor e são queimados quando revendedores autorizados vendem o token de volta à associação em troca dos ativos subjacentes. Além disso, o white paper afirma:

“Como os revendedores autorizados poderão vender moedas de Libra à reserva a um preço igual ao valor da cesta, a Reserva Libra age como um 'último recurso como comprador'”.

O Facebook observa ainda que o software que implementa a blockchain Libra é de código aberto, a fim de criar um ecossistema interoperável de serviços financeiros e ampliar a inclusão.

Relatórios anteriores indicaram que a moeda facilitará os pagamentos nas várias plataformas do Facebook, incluindo WhatsApp, Messenger e Instagram, dando a nova exposição potencial a um total combinado de 2,7 bilhões de usuários por mês.