Maior banco da Alemanha une-se à rede Blockchain do JPMorgan

O maior banco da Alemanha, o Deutsche Bank, se juntou à rede baseada em blockchain do JPMorgan, a Interbank Information Network (IIN).

Dois anos em operação

Lançado como um piloto em 2017, a iniciativa blockchain liderada pelo JPMorgan agora tem uma rede de 320 bancos que entraram na plataforma para trocar dados de pagamentos globais usando a rede Ethereum, informou o Financial Times em 15 de setembro.

Takis Georgakopoulos, chefe de pagamentos do JPMorgan, expressou esperança de que o Deutsche Bank seja o primeiro de vários outros grandes bancos a ingressar no IIN. Segundo o relatório, o Deutsche Bank é o maior produtor de pagamentos em euros do mundo.

O IIN permitirá que o Deutsche Bank ofereça melhores serviços aos clientes, de acordo com Ole Matthiessen, diretor global de gerenciamento de caixa do banco. Matthiessen, que ocupou o cargo em março de 2019, explicou que o banco espera que o IIN reduza o custo do processamento de pagamentos difíceis.

Meta de 400 membros até o fim do ano

A rede IIN é baseada na plataforma Quorum, desenvolvida pelo JPMorgan, e pretende enfrentar os principais desafios do compartilhamento de informações entre bancos e acelerar as transações para os destinatários. O Quorum é baseado na blockchain Ethereum, que foi recentemente citada pelo co-fundador Vitalik Buterin como quase cheia, pois é a rede pública de blockchain mais popular para aplicativos descentralizados.

Segundo Georgakopoulos, o JPMorgan pretende chegar a 400 acordos com bancos até o final de 2019 e também espera anunciar outros grandes bancos em um futuro próximo.

Como relatado em junho, o JPMorgan espera pilotar sua própria criptomoeda JPM Coin até o final de 2019. Recentemente, o CEO do JPMorgan Jamie Dimon apoiou o muito discutido projeto cripto Libra, alegando que a stablecoin não representa uma ameaça aos bancos no curto prazo. prazo. Enquanto isso, o Deutsche Bank é um dos 26 bancos centrais globais que se reunirão com os fundadores da Libra para discutir seus supostos riscos de estabilidade financeira amanhã na Suíça.