"CoinLab é uma grande pedra no caminho": Mark Karpeles fala sobre credores da Mt.Gox e vida após julgamento

Aviso: A entrevista foi editada e condensada para publicação

A exchange cripto Mt. Gox é bem lembrada - mas principalmente por um motivo ruim. O ano de 2011 marcou o maior desfalque em termos da quantidade de cripto roubada, um número de 850.000 Bitcoins (BTC), que valem aproximadamente US$ 473 milhões. Quatro anos depois, apenas 200.000 BTC foram recuperados.

A maioria dos credores ainda não sabe quando ou se eles finalmente receberão seus fundos de volta. Aparentemente, podemos não ter uma conclusão a qualquer momento em breve, já que o administrador da Mt.Gox continua sua luta contra a empresa CoinLab, sediada nos Estados Unidos, no tribunal.

Enquanto isso, relatos recentes de que Mark Karpeles está trabalhando para a empresa japonesa Tristan Technologies como seu diretor de tecnologia perturbaram a comunidade, com muitos acreditando que Karpeles está agora de volta ao jogo da cripto. Para esclarecer esses rumores e descobrir os detalhes sobre a Mt.Gox, o Cointelegraph falou com o homem, Mark Karpeles.

Relatos a mídia e boatos

Alex Cohen: Antes de mais nada, vamos falar sobre reportagens recentes que afirmavam que você recentemente se uniu a uma nova empresa de blockchain, a Tristan Tech, no papel de CTO. Você então foi à imprensa para esclarecer que essas reportagens não eram precisas. Você pode esclarecer tudo isso, por favor?

Mark Karpeles: Este não é particularmente um novo papel; eu venho fazendo isso desde 2016. A Tristan Technologies é uma empresa muito pequena. Temos provavelmente, penso eu, quatro funcionários, com dois engenheiros, eu incluido.

Então, é uma entidade muito pequena e estamos trabalhando para criar serviços de TI - mas nada relacionado à blockchain neste momento, pelo menos.

Existem diferentes razões pelas quais eu trabalho aqui. Uma das razões era que, na época, eu não tinha escolha de qualquer maneira, considerando que eu estava apenas sob fiança. E, como tal, não foi fácil encontrar um emprego.

Além disso, eu acho que a Tristan Technology é uma empresa que é muito interessante em um ponto específico, que é o de o diretor da empresa também ser meu advogado, que lidou com a parte criminal do caso no Japão.

Eu tenho uma oportunidade de trabalhar em coisas que a maioria das empresas de TI não pode fazer, porque ou é muito complexa ou é sobre coisas que as pessoas nem sequer sabem que é possível.

AC: Então, só para esclarecer, você tem planos de trabalhar com cripto, ou fazer algo relacionado à blockchain neste momento?

MK: Bom, é claro, provavelmente há coisas que eu ainda possa fazer quando se trata de cripto. Mas não acho que seja o momento certo agora. Dependerá de como as coisas evoluem no futuro.

Nesse meio tempo, é importante expressar e compartilhar o que vi durante meus anos na Mt.Gox e depois dela e há um livro que eu publiquei no Japão que contém muitas explicações - como o que aconteceu na Mt.Gox, qual é a situação das criptomoedas, o que foi feito até agora e o que precisa ser feito o mais rápido possível para garantir que a cripto evolua e se torne algo para o futuro.

No geral, Karpeles não descartou o retorno à indústria de cripto e blockchain em algum momento no futuro, após superar os obstáculos mais urgentes:

MK: Eu não sei quando, não dependerá só de mim. Também dependerá da indústria em si. Neste momento, ainda tenho um julgamento em andamento no Japão.

As acusações originais incluem desfalque e quebra de confiança, para os quais fui julgado inocente. Mas resta ainda uma coisa para qual estou apelando.

Então, vai demorar um pouco, eu acho. Mas vou lutar até o final para provar minha inocência nisso.

As batalhas legais continuam em todas as frentes

As acusações originais contra Karpeles foram apresentadas em 2015 em razão de quebra de confiança e desfalque. Ele acabou sendo considerado culpado de adulteração de registros, que lhe rendeu uma pena de 2 anos e meio de prisão que foi suspensa, a qual ele agora está apelando.

AC: Quanto tempo você acha que vai demorar até termos uma conclusão para todos os processos judiciais?

MK: Existem diferentes processos legais acontecendo ao mesmo tempo em diferentes lugares do mundo.

Acredito que vai levar anos até que tudo relacionado à Mt.Gox saia dos tribunais - talvez mais, então pode ser até 10 anos, não sei. Mas acredito que a coisa que a maioria das pessoas está esperando agora, na verdade, é uma falência em si. Se conseguirmos encontrar uma solução para os credores, acredito que seria muito melhor para as pessoas do que simplesmente esperar para sempre.

O progresso real agora depende de um credor específico, que é uma empresa chamada CoinLab. Eles são uma empresa com a qual a Mt.Gox tentou, em determinado momento, trabalhar com clientes nos EUA devido a regulamentações. Não era realmente possível fazer do Japão.

Leia mais a respeito: Um veredicto de culpado, credores impacientes e um movimento de ressurreição: A saga da Mt. Gox continua

Como se viu, a CoinLab não obteve o licenciamento correto e eles não fizeram as coisas que se esperavam dees, então o acordo não poderia seguir em frente e a CoinLab tentou processar a Mt.Gox. Nós processamos a CoinLab nos EUA.

Enquanto isso, a Mt.Gox entrou em falência, então o processo se tornou uma reivindicação. Então, mais cedo, a CoinLab entrou com uma reclamação junto à Mt.Gox. Mas, com as petições recentes, eles fizeram uma nova reivindicação de US$ 16 bilhões, o que está impedindo completamente que tudo avance.

AC: Durante e após o seu julgamento, vários meios de comunicação informaram que você tem uma grande riqueza armazenada em cripto. Isso é verdade?

MK: Bem, eu queria que isso fosse verdade, assim eu não teria que trabalhar. Então, não, eu não tenho nenhum tipo de cripto.

Durante a falência da Mt.Gox, eu fui tragado para a falência eu mesmo. Fui detido por quase um ano, período em que todos os meus pertences foram confiscados pelo fundo fiduciário. Quando saí sob fiança em 2016, não tinha absolutamente nada.

A única coisa que sobrou foi uma desconfiança genuína e simplesmente a impossibilidade de conseguir qualquer tipo de trabalho - o que, comparado a isso, na verdade eu diria que eu me realizei um pouco, voltando a fazer meus pés tocarem o chão. Mas ainda estou longe de terminar, acredito.

Mas ainda assim, se eu tivesse bilhões em cripto, teria sido muito mais fácil para mim. Consegui finalmente criar uma conta bancária, mas a maioria dos bancos simplesmente dizia não, quando viam meu nome. Então, tem sido um tempo para encontrar o banco que me permitiria até mesmo criar uma conta. Eu definitivamente não vou receber nenhum cartão de crédito tão cedo.

 

 

 

Quando os credores da Mt. Gox terão seu dinheiro de volta?

AC: Qual o montante que os credores teriam de volta quando pagos? Houve relatos conflitantes na mídia, então há um número específico?

MK: Bem, eu diria que está confirmado porque a única razão para isso ser mudado seria no caso da CoinLab receber uma quantia diferente da aprovada, o que é muito improvável, até onde eu sei.

Não creio que o montante seja inferior ao que era durante a falência. Também deve incluir criptomoedas como Bitcoin e Bitcoin Cash. Mas o caso é que, eu acho, pode levar anos.

Para isso, existem duas partes: o fundo fiduciário realmente conseguiu mais de US$ 500 milhões em dinheiro vendendo Bitcoins durante a falência e tem mais de 100.000 Bitcoin Cash, que também podem ser distribuídos.

Então, a única coisa que resta é tirar da frente as cobranças da CoinLab e depois enviar um plano original ao tribunal. que, então, delinearia um caminho concreto para implementar o plano. Então, a CoinLab é um grande obstáculo para avançar.

Basicamente, a CoinLab fez uma afirmação que é claramente ultrajante. Quer dizer, US$ 16 bilhões são, por qualquer tipo de total, demais. E muito claramente só está aí para atrasar o processo, a fim de estar numa posição melhor ao negociar algum tipo de acordo.

Mas muito claramente, a única maneira de a CoinLab receber qualquer tipo de dinheiro é se o administrador do tribunal aprovar um acordo - porque a reivindicação, até onde eu sei, não tem mérito.

Em fevereiro de 2019, a CoinLab, incubadora de empresas de Bitcoin com base nos EUA, aumentou sua reivindicação inicial contra a Mt.Gox de US$ 75 milhões para US$ 16 bilhões. A ação original contra a exchange de Bitcoins, ocorrida em 2013, acusava a Mt.Gox de violar um contrato referente ao atendimento de clientes nos EUA.

Mark também compartilhou suas expectativas em relação ao resultado do caso contra a CoinLab:

MK: Para o caso, se isso for até o fim, a CoinLab definitivamente perderá e não receberá nada. Eu acredito que o administrador tem uma chance muito boa contra a CoinLab, contanto que o caso seja devidamente combatido.

Mas a coisa é, a CoinLab não está lutando para vencer, mas para causar atrasos, porque eles sabem que há uma grande pressão sobre o administrador para vender tudo o mais rápido possível, o que não é uma opção, uma vez que a CoinLab esteja lá.

 

 

Perguntas dos leitores

Antes da entrevista, o Cointelegraph pediu à comunidade para enviar perguntas através de suas redes sociais. Aqui estão algumas delas:

Brock Pierce tem algum direito ao URL Mt.Gox?

MK: Eu não acredito que Brock tenha os direitos, no dia de hoje, para a URL ou para a Mt.Gox em si. Claro, se ele quiser tomar a Mt. Gox, certamente ele pode abordar o administrador e o administrador iria analisr, discutir e decidir se é uma coisa boa ou não. Mas eu não acredito - neste momento, afinal - que esse tipo de coisa aconteça. Na verdade Brock Pierce tentou duas vezes reviver a Mt. Gox

Ele veio ao Japão, quando eu o conheci neste escritório aqui e conversamos um pouco sobre diversas coisas. Basicamente, não parecia que ele tinha um plano sólido para trazer recuperações para os credores ou para fazer as coisas se movimentarem mais rápido. Ele parecia determinado a emitir uma nova moeda. Então, com base no que vi, não tenho certeza de que beneficiaria a todos igualmente.

Mark se arrepende de ter se envolvido no mundo da criptomoeda? E se ele pudesse voltar no tempo e mudar alguma coisa, o que mudaria?

MK: Bom, eu diria que o meu maior arrependimento foi aceitar a Mt.Gox em vez de simplesmente criar uma exchange nova.

Naquela época, eu não tinha a experiência geral que tenho hoje. Quando Jed [Jed McCaleb, fundador da Mt.Gox] veio até mim e me ofereceu a Mt.Gox - pedindo dinheiro - na época eu não achei suspeito. Então, não, com a experiência que tenho hoje, nunca faria esse tipo de coisa.

Os credores da Mt. Gox ainda estão esperando

AC: Você ainda tem alguma altercação com os credores da Mt.Gox?

MK: Eu tenho muito contato com muitos criadores de conteúdo. Estou ajudando muitas pessoas a tentar passar por todo o processo, que é em japonês. É claro que estou tentando fazer o que posso para ajudar as pessoas, porque hoje não posso fazer muito além disso - embora esteja me certificando de que o processo de falência tenha qualquer coisa de que precise de mim e tentando tornar isso possível para os credores entrarem em contato comigo.

AC: Em termos de percepção pública, as pessoas eram e ainda são bastante desconfiadas de você. Você acha que essa noção para com você se suavizou com o tempo?

MK: Ser julgado inocente das acusações é, na verdade, um grande selo de aprovação de um tribunal japonês, baseado na investigação policial. Então, eu acredito que isso realmente ajudou a restaurar da muita confiança e crença das pessoas em mim.

Mas ainda há um caso restante, com o qual ainda estou lutando. Mesmo se for provado que sou realmente inocente, algumas pessoas diriam apenas que o tribunal não está sendo justo ou algo do tipo. Mas, na verdade, isso seria uma batalha difícil, porque o Japão tende a ter uma taxa de convicção muito alta.

Justificando que eu sou inocente das acusações, a promotoria decidiu não apelar disso. Algo que eu não esperava que acontecesse. Eu acredito que isso realmente significa alguma coisa.