CEO da Mt. Gox decide apelar de condenação por manipulação de dados financeiros

Mark Karpeles, ex-CEO da hoje extinta exchange Mt. Gox, apelou de sua condenação por manipulação de dados, segundo noticiou em 29 de março a The Associated Press (AP).

15 de março, Karpeles foi absolvido das acusações de fraude, mas considerado culpado por manipular registros financeiros, com a corte declarando que ele manipulou dados para desfalcar seus clientes, traindo sua confiança e abusando de suas habilidades de engenharia.

A Corte do Distrito de Tóquio considerou Karpeles culpado por combinar seus ativos pessoais com os da exchange para esconder as perdas da plataforma para hackers. Karpeles teria recebido sentença de dois anos e meio de cadeia, que ele teria que cumprir caso cometa uma outra infração nos próximos quatro anos.

De acordo com notícias de ontem, os procuradores japoneses haviam derrubado a apelação pela absolvição do Mt. Gox CEO. De acordo com o The Mainichi, promotores haviam solicitado a apelação da absolvição sobre as acusações de apropriação indébita, mas posteriormente decidiu deixar a decisão em suspenso.

Karpeles disse à AP que decidiu apelar das acusações de manipulação de dados pois o tribunal não atentou completamente aos argumentos da defesa.

O advogado de Karpeles Nobuyasu Ogata teria explicado que Karpeles estava fazendo esforços para reduzir os riscos dos usuários da Mt. Gox com suas ações depois do hack de 850.000 Bitcoins (BTC) em 2014.

Karpeles disse que acredita que sua apelação do julgamento é apropriada já que ele pode ser julgado novamente com "a compreensão completa de todos os fatos", ele escreveu via e-mail para a AP.

Na última semana, o administrador da Mt. Gox, Nobuaki Kobayashi, anunciou que ele havia terminado de processar os pedidos de ressarcimento dos credores e que eles seriam notificados dos resultados em alguns dias. O número de usuários afetados pelo hack passa de 24.000.