Justiça japonesa considera ex-CEO da Mt. Gox culpado por adulteração de registros

Mark Karpeles — o ex-CEO da hoje desativada exchange de Bitcoin (BTCMt. Gox — recebeu uma sentença suspensa de prisão depois de ser considerado culpado de manipular dados financeiros. A notícia foi reportada pela Bloomberg em 15 de março.

A Corte do Distrito de Tóqui teria considerado Karpeles culpado de misturar suas finanças pessoais com as da exchange para maquiar as perdas da plataforma para hackers. Ele recebeu sentença de dois anos e meio de prisão, que ele não será de cumprir a não ser que ele seja condenado a outros crimes de mais de quatro anos.

O tribunal, porém, absolveu Karpeles da acusação de desvio de verbas, declarando:

“A acusação de maquiagem de registros eletrônicos é verdade e merece punição, mas não há evidência criminal de desvio de verbas.”

Como já foi noticiado, a Mt. Gox foi hackeada em 2011, com cerca de 24.000 credores supostamente afetados. O subsequente colapso da exchange no começo de 2014 levou a perdas de cerca de 850.000 Bitcoins (BTC), avaliados grossamente em US$460 milhões na época (~US$ 3,3 bilhões no momento desta publicação).

Enquanto as acusações de fraude e desvio de verbas não foram relacionados diretamente ao roubo, a conduta de Karpeles na sequência do hack da plataforma levantou suspeitas. Na metade de 2015, antes que as acusações recaíssem sobre ele, Karpeles seria encontrado 200.000 dos BTC perdidos em uma carteira fria.

A Bloomberg cita a corte declarando que não poderia "aliviar a responsabilidade criminal do réu", acusando Karpeles de causar "danos profundos à confiança de seus usuários":

“Não há desculpas para o acusado, que é um engenheiro com conhecimento avançado, abusar de seu status e autoridade para cometer atos criminosos.”

Desde que o processo começou em julho de 2017 Karpeles seguiu alegando sua inocência e acusou o sistema de justiça japonês — que, segundo a Bloomberg, tem taxa de condenação de 99% — de tratamento injusto. Ele alega que teria sido interrogado por meses sem ter representante legal e sofrido pressionado para assinar uma confissão.

Como noticiado, no começo deste mês uma corte dos Estados Unidos negou a moção de Karpeles para barrar um processo, que acusa ele de responsabilidade pessoal nas perdas dos investidores, depois dos processos de recuperação no Japão.

Em fevereiro, Karpeles rechaçøu o chamado movimento “GoxRising”, liderado pela polêmica personalidade cripto Brock Pierce, que declarou que poderia reativar a plataforma de negociação e acelerar a compensação dos credores da Mr. Gox.