Corte dos EUA nega moção de ex-CEO da Mt. Gox Karpeles para barrar ação contra ele

O ex-CEO da agora falecida exchange Bitcoin (BTC) Mt. Gox, teve negada sua moção para barrar um caso contra ele nos Estados Unidos, logo depois de retomada da recuperação no Japão, publicou a agência de notícias fintech FinanceFeeds em 1o de março.

Na quinta-feira, 28 de fevereiro, a moção do ex-CEO da Mt. Gox Mark Karpeles teria sido negada pelo juiz da Corte do Distrito do Norte de Illinois, Gary Feinerman. A corte também decidiu pela estensão do prazo para a apresentação de respostas a qualquer solicitação de descoberta já fornecida para 15 de março.

Karpeles apresentou uma moção para barrar o caso nos EUA aberto por ex-investidores na segunda-feira, 25 de fevereiro. No documento, Karpeles teria declarado para os representantes da corte Gregory Greene e Anthony Motto que o atual processo de recuperação no Japão deve oferecer recuperação completa.

Em seguida, Karpeles tentou barrar o caso no tribunal dizendo que acredita que um processo formal não é o método adequado pra resolver o caso.

Os querelantes querem tornar Karpeless pessoalmente responsável pelas perdas que sofreram em investimentos durante o famigerado hack da Mt. Gox e que eles não puderam recuperar no processo de falência da Mt. Gox.

De acordo com Karpeles, o mercado de búfalo que se seguiu à falência da exchange poderia fornecer uma recuperação completa dos procedimentos legais no Japão da Mt. Gox. Ele sugeriu que o caso teria de ser barrado para conservar os recursos judiciais e evitar despesas legais desnecessárias.

A exchange Mt. Gox foi hackeada em 2011, com cerca de 24.000 credores afetados. O colapso posterior da exchange no começo de 2014 levou à perda de cerca de 850.000 Bitcoin, avaliados em cerca de US$ 460 milhões na época e US$ 3.2 bilhões no momento desta publicação.

Recentemente, Karpeles negou as acusações da polêmica figura cripto Brock Pierce que declarou que poderia reativar a plataforma de negociação e acelerar a recompensação dos credores da Mr. Gox. Falando ao Cointelegraph, Karpeles desafiou a legitimidade de Pierce em reclamar os direitos e habilidade de relançar a exchange.

Em dezembro de 2018, as agências de notícias do Japão noticiaram que Karpeles poderia passar dez anos na cadeia por ter manipulado dados. O ex-CEO negou as acusações de que teria roubado o dinheiro ou manipulado a contabilidade da Mt. Gox.