Chainalysis vai fornecer à Bitfinex ferramentas de 'privacidade segura' para o combater ao crime

A empresa de análise de blockchain Chainalysis, com sede em Nova York, deve fornecer à exchange de criptomeodas Bitfinex sua solução de conformidade contra a lavagem de dinheiro.

Em um comunicado de imprensa publicado em 12 de dezembro, as duas empresas reforçaram que a solução será protegida por privacidade, mas ajudam a Bitfinex a reprimir os maus elementos usando sua plataforma.

Monitoramento aprimorado

A Chainalysis é uma das empresas de mais alto perfil no setor de inteligência blockchain, fornecendo soluções - como sua ferramenta patenteada KYT (Know Your Transaction) - que permite que empresas, governos e agências policiais monitorem transações de blockchain e rastreiem atividades ilícitas suspeitas.

No início deste ano, a empresa expandiu suas capacidades de monitoramento para além do Bitcoin (BTC) e cobrindo outras 41 criptomoedas, incluindo Ether (ETH), Bitcoin Cash (BCH), Litecoin (LTC), tokens ERC-20 como Maker (MKR) e Dai (DAI) e várias stablecoins, incluindo o token afiliado da Bitfinex, o Tether (USDT).

A Bitfinex poderá usar os recursos de monitoramento em tempo real da tecnologia da Chainalysis para identificar discrepância de alto risco em meio a um grande volume de transações.

Ferramentas de due diligence automatizadas e granulares podem ajudar a central a alocar melhor os recursos, aplicar políticas de conformidade e combater com firmeza os crimes financeiros, afirma o comunicado à imprensa.

História conturbada

A decisão da Bitfinex de reforçar sua conformidade e due diligence em parceria com uma experiente empresa de inteligência como a Chainalysis ocorre após meses de prolongadas dificuldades legais.

Entre elas, Bitfinex, Tether e a empresa-matriz iFinex foram acusadas ​​pelo escritório da Procuradoria-Geral de Nova York de terem perdido US$ 850 milhões em fundos misturados de clientes e empresas e, na sequ~encia, tentaram encobrir o suposto rombo.

Em outubro, a Procuradoria dos EUA para o Distrito Sul de Nova York indiciou o diretor da Crypto Capital, controversa processadora de pagamentos paralelos sediada no Panamá, em três acusações criminais.

A Crypto Capital havia, nas palavras da própria exchange, "processado certos fundos para e em nome da Bitfinex por vários anos". A Bitfinex respondeu que ela própria é vítima da fraude.

No mês passado, a Bitfinex classificou um outro novo processo como "mercenário e infundado". Ela insistiu em sua negação de controvérsias persistentes, incluindo alegações de que a emissão do Tether foi usada para manipular os mercados de criptomoedas e alegações de longa data de que o token não é apoiado em 1 por 1 pelo dólar americano.