XP Investimentos será vendida na Nasdaq por US$ 2,5 Bilhões, XDEX não deve integrar negócio

A XP Investimentos protocolou um pedido de IPO na bolsa de valores norte-americana Nasdaq para o lançamento de ações da empresa que espera arrecadar até US$ 2.5 bilhões que podem ser usados para o lançamento de novos produtos incluindo um sistema de pagamento, um banco, entre outros, segundo informações divulgadas pela imprensa em 18 de novembro.

A XP é uma das maiores corretoras de investimento da América Latina e seus sócios são também donos da XDEX, plataforma focada em investimentos com Bitcoin e criptomoedas que não deve ser incluída no negócio, porém a XP não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

Segundo estimativas do BTG Pactual, após o IPO a XP pode chegar a R$ 60 bilhões de valor de mercado. A oferta será primária e secundária - ou seja, alguns dos atuais sócios vão vender parte de suas ações, mas a companhia também vai emitir novas ações, embolsando os recursos levantados com elas. 

Com cerca de 1,5 milhão de clientes e R$ 350 bilhões de ativos sob custódia, além de R$ 3,7 bilhões em receitas até agora este ano, os acionistas que vão se desfazer de parte de suas ações são os sócios-controladores da XP, além dos fundos de investimento General Atlantic e Dynamo. 

Ainda segundo informações, o lucro líquido registrado este ano pela XP até setembro foi de R$ 699 milhões.

"Temos confiança de que se conectando com alguns dos maiores e mais inteligentes investidores do mundo é a melhor maneira para dar os próximos passos de crescimento e capturar as vastas oportunidades que há pela frente", escreveu em carta anexada ao prospecto o sócio-fundador da XP, Guilherme Benchimol.

É a segunda vez que o XP realiza um IPO. Em 2017, a XP se preparava para listar suas ações quando chegou a um acordo com o maior banco do setor privado do Brasil, o Itaú Unibanco Holding SA ITUB4.SA , que adquiriu uma participação de 49,9% na XP em uma transação de dinheiro e ações no total de 6,3 bilhões reais (US $ 1,55 bilhão).

Como noticiou o Cointelegraph em agosto deste ano a BSM Supervisão de mercados aplicou uma multa de R$ 10 milhões na XP por encontrar irregularidades relacionada a um bot de negociação que ‘trabalharia’ contra os clientes e a favor da empresa.

A XP teria lucrado cerca de R$ 117 milhões entre 2016 e 2018 ao atuar como contraparte dos investidores, intermediando as ordens enviadas e obtendo ganhos em seguida, de acordo com o site.

Confira mais notícias