Com empresa de forex suspensa pela CVM e dívida milionária, Justiça determina bloqueio de 57 imóveis de Ronaldinho Gaúcho

O ex-jogador de futebol Ronaldinho Gaúcho, que teve seu nome vinculado à projetos de criptomoedas mais de uma vez, acumula dívida milionária e teve diversos bens bloqueados pela Justiça do Rio Grande do Sul, diz reportagem da Folha de São Paulo desta segunda-feira, 29 de julho.

Segundo levantamento do jornal, Ronaldinho teve 57 imóveis bloqueados judicialmente em razão de multa ambiental no valor de R$ 9,5 milhões. 

O atleta supostamente também acumula R$ 7,8 milhões em protestos espalhados por 3 cartórios da capital gaúcha e, de acordo com a prefeitura de Porto Alegre, deve outros R$ 9,91 milhões em IPTU e Taxa de Coleta de Lixo. A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional cobra outra dívida do atleta, no valor de R$ 793 mil. 

Desde que deixou os gramados, Ronaldinho, que chegou a ser eleito duas vezes como o “Melhor Jogador de Futebol do Mundo” pela Fifa, passou a investir em diversas áreas.

Seu nome esteve vinculado à uma criptomoeda - a “Ronaldinho Coin” - mas o projeto acabou não obtendo sucesso e foi abandonado.

Além disso, recentemente uma empresa de Forex representada pelo atleta sofreu apuração e foi suspenso da CVM, conforme relatou o Cointelegraph.

Por conta dos diversos processos, os passaportes do ex-jogador foram retidos e ele está proibido de deixar o país, sua defesa está tentando reaver pelo menos seu passaporte espanhol e alega que a decisão de reter o documento emitido por outro país é "ilegal".