Governo dos EUA extradita suposto fraudador por vender títulos falsos e acumular US$ 11 milhões em BTC

Os Estados Unidos extraditaram um cidadão sueco, da Tailândia, por supostamente vender títulos fraudulentos a investidores online, acumulando mais de US$ 11 milhões em Bitcoin (BTC).

Em um comunicado de imprensa do Departamento de Justiça dos EUA (DoJ), publicado em 18 de novembro, Roger Nils-Jonas Karlsson está a caminho dos EUA para ser julgado em nome de sua empresa, a Eastern Metal Securities.

A acusação

De acordo com o Departamento de Justiça, Karlsson foi preso em 17 de junho. Em 25 de julho, um grande júri federal dos EUA indiciou Karlsson por acusações de suposta fraude de valores mobiliários, fraude eletrônica e lavagem de dinheiro.

Karlsson supostamente usou a Eastern Metal Securities, bem como uma variedade de identidades on-line falsas, para direcionar os investidores a pagar US$ 98 por ação, com a promessa de um pagamento eventual de 1,15 kg de ouro por ação - até o momento, no valor de quase US$ 60.000.

Operando esse negócio remotamente, Karlsson recebeu pagamento de investidores usando moedas virtuais, incluindo Bitcoin, com a promessa de devolver 97% do valor de seu investimento inicial, no caso de o pagamento de ouro não ter resultado.

O Departamento de Justiça diz que 3.575 pessoas investiram um total de mais de US$ 11 milhões no esquema de Karlsson. Pelo comunicado, esse dinheiro agora está vinculado ao mercado imobiliário da Tailândia.

Outros processos recentes em criptomoeda

No final da semana passada, o fundador do maciço esquema ponzi OneCoin, que se concentrava em uma criptomoeda que não existia, se declarou culpado de acusações como fraude e lavagem de dinheiro. O homem, Konstantin Ignatov, pode enfrentar até 90 anos atrás das grades.

O Tribunal Distrital do Sul de Nova York indiciou recentemente um homem por fraude eletrônica. Asa Saint Clair supostamente usou fundos de investidores para financiar suas outras empresas, bem como parte da alta vida em Manhattan.