Procurador distrital dos EUA indicia três por lavagem de milhões com Bitcoin

O promotor do distrito de Manhattan acusou um grupo de indivíduos de supostamente vender drogas e lavar milhões de dólares com bitcoin (BTC). O desenvolvimento foi anunciado em um comunicado de imprensa publicado em 16 de abril.

O Procurador Distrital de Manhattan, Cyrus R. Vance Jr., o Serviço Secreto dos Estados Unidos, o Serviço de Inspeção Postal dos EUA (USPIS) e as Investigações de Segurança Interna dos EUA (HSI) acusaram Chester Anderson e seus cúmplices criminosos Jarrette Codd e Ronald Maccarty. Os réus supostamente operavam lojas na dark net que vendiam e enviavam “centenas de milhares” de comprimidos de remédios falsificados.

Autoridades apreenderam 420 mil a 620 mil comprimidos de alprazolam, 500 glassines de heroína com fentanil e quantidades de metanfetamina, cetamina e ácido gama-hidroxibutírico (GHB), entre outros. Este foi supostamente a maior apreensão do tipo por autoridades na história do estado de Nova Jersey.

Conforme afirma o comunicado, os alegados criminosos conseguiram vender os medicamentos para compradores em 43 estados e lavar US$ 2,3 milhões em bitcoins usando cartões de débito pré-carregados e sacando dinheiro em caixas eletrônicos (ATMs). Os indivíduos supostamente retiraram mais de US$ 1 milhão. Os réus fpram acusados em um Supremo Tribunal do Estado de Nova York por conspiração no quarto e quinto graus, bem como lavagem de dinheiro no primeiro grau.

Recentemente, um júri federal condenou dois supostos criminosos cibernéticos de espalhar malware para roubar credenciais de cartão de crédito e criptomoeda. Os computadores infectados também registraram mais de 100.000 contas de e-mail da AOL que foram usadas para espalhar o malware ainda mais com milhões de e-mails enviados para os endereços roubados.

No início deste mês, a Cointelegraph informou que o comerciante da LocalBitcoins, Jacob Burrell, que vendeu bitcoin para mais de 1.000 pessoas nos EUA, servirá dois anos na cadeia federal. Burrell Campos, um cidadão mexicano, acumulou mais de US$ 820.000 em vendas de bitcoin na plataforma P2P entre 2015 e 2018.