Departamento de Justiça dos EUA acusa serviço de criptomoedas de esquema de fraude de US$ 7 milhões

As autoridades federais do estado de Nova York acusam de atividade indevidas e fraude a empresa de depósito de criptomoedas Volantis com ação no valor de mais de US$ 7 milhões.

De acordo com um anúncio do Departamento de Justiça (DoJ), o Procurador dos Estados Unidos para o Distrito Sul de Nova York e o Subdiretor do Departamento de Nova York do FBI revelaram um arquivamento com as alegações em 25 de julho. O réu, Jon Barry Thompson, diretor da Volantis, também foi preso no mesmo dia. 

Thompson supostamente fez falsas declarações sobre o suposto serviço de transações Bitcoin da Volantis, a fim de fraudulentamente garantir mais de US$ 7 milhões de duas empresas diferentes. No arquivamento, os reclamantes dizem que Thompson ofereceu um serviço para assentamentos de criptomoedas de baixo risco, agindo como um custodiante mútuo para duas partes envolvidas. 

Réu alegadamente usado firma como uma frente para roubo

No entanto, o procurador-geral de Manhattan, Geoffrey S. Berman, afirma que Thompson usou este serviço como uma fachada para roubar o dinheiro “custodiado”:

“Jon Thompson induziu os investidores a realizar transações de criptomoeda através de sua empresa, a Volantis Market Making, promovendo uma estrutura de transação que eliminaria qualquer risco de perda durante a compra. No entanto, como seus clientes logo perceberam, as representações de Thompson eram falsas, e esses investidores em criptomoeda acabaram perdendo todo o dinheiro que haviam confiado a ele por causa de suas mentiras ”.

William F. Sweeney Jr., diretor-adjunto assistente do FBI, especificou ainda que acredita que Thompson usou um jargão confuso para explorar empresas menos familiarizadas com o espaço das criptomoedas:

“Usando frases e terminologia que as empresas vitimadas não entendiam ele supostamente usava esta ignorância sobre criptomoeda de seus clientes a seu favor. Nosso trabalho no FBI é investigar fraudes e seguir o dinheiro onde quer que ele leve ”.

O próprio depósito foi assinado em 18 de julho e contém os detalhes das acusações de fraude. De acordo com o arquivamento, o réu está sendo acusado de duas acusações de fraude de commodities, bem como duas acusações de fraude eletrônica.

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, o DoJ indiciou um indivíduo em 24 de julho por não registrar a si mesmo ou a sua empresa na Secretaria do Tesouro dos EUA. O réu, William Green, supostamente dirigiu um serviço de conversão fiat-to-Bitcoin ( BTC ) em “Destination Bitcoin” de New Jersey sem se registrar como um negócio de transmissão de dinheiro.