Unick Forex confirma desativação de plataforma e diz que atividades da empresa estão sendo 'interrompidas'

Com parte da diretoria e seu presidente presos pela Polícia Federal, além bloqueio de recursos e de seu banco de dados na Justiça, a Unick Forex confirmou ao Cointelegraph Brasil que está interrompendo suas atividades, confirmando que sua plataforma foi desativada.

Em comunicado oficial, a Unick diz que a Justiça estabeleceu em 17 de outubro o bloqueio dos recursos e do banco de dados da empresa, o que está levando a empresa a interromper suas atividades, incluindo aí sua plataforma:

"Em razão do bloqueio de recursos e do banco de dados da empresa, estabelecido pela Justiça em 17 de outubro, as atividades da Unick estão sendo interrompidas. Essa situação chegou agora ao escritório virtual, cujo sistema foi retirado do ar devido à impossibilidade de manutenção e atualizações da plataforma."

A Unick também alerta que pessoas "mal-intencionadas" estariam usando a situação da empresa para usar indevidamente seu nome "em proveito próprio".

Como noticiou o Cointelegraph, desde que a Unick Forex foi alvo de uma operação do Ministério Público no Rio Grande do Sul, alguns sites ligados à empresa passaram a redirecionar os visitantes para outra empresa de "investimentos" com Bitcoin.

A empresa também diz na nota que colabora com as autoridades, "prestando as informações necessárias" na apuração de suas atividades, e que "reafirma seu compromisso com seus associados", acreditando "na Justiça e nos esclarecimentos [sic] dos fatos".

Na época das prisões, a PF declarou que havia desarticulado o "núcleo criminoso" da Unick Forex, que é acusada de fraude, pirâmide financeira e lavagem de dinheiro.

Continue lendo: