Canal TON Board do Telegram 'dá um tempo' e remove todo o histórico do canal

Após uma recente advetência por parte dos reguladores dos Estados Unidos, um canal privado de Telegram da Telegram Open Network (TON) está dando um tempo.

Interrupção temporária para maior clareza

Em 12 de outubro, o canal da TON Board no Telegram anunciou uma interrupção temporária do trabalho devido ao aumento do nível de incerteza regulatória.

A TON Board também excluiu todas as postagens anteriores em seu canal Telegram, tornando o anúncio mais recente a única postagem no canal no momento desta publicação.

Conforme observado na descrição do canal, o TON Board é um canal privado criado por investidores e para investidores no TON, bem como para futuros detentores principais de Grams. O canal tem cerca de 2.400 assinantes no momento.

No anúncio, o Conselho da TON declarou que está fazendo uma pausa para analisar novas informações e adaptar políticas. O canal observou que eles planejam voltar assim que tiverem mais clareza sobre o status legal da TON e da Gram, além de um tipo de análise permitido que possa ser publicado sobre eles.

SEC sinaliza Gram semanas antes do lançamento

A medida foi tomada depois que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) anunciou abruptamente que a venda de tokens Gram de US$ 1,7 bilhão da Telegram em 2018 era ilegal.

Em 11 de outubro, o regulador entrou com uma ação de emergência e uma ordem de restrição contra o Telegram e a TON, a fim de impedir que os investidores iniciais pudessem adquirir Gram.

O anúncio regulatório ocorreu poucas semanas antes do tão esperado lançamento da TON no final de outubro, conforme planejado oficialmente pela empresa.

Em preparação para o lançamento, o Telegram divulgou os termos de uso de sua carteira nativa de criptomoeda a Gram Wallet em 8 de outubro, observando que o Telegram não deve ser usado em jurisdições onde seus serviços são proibidos por qualquer lei, regulamento ou regra aplicável.

De acordo com uma carta da Telegram aos investidores obtida pelo Cointelegraph, a empresa tentava solicitar comentários e cooperação da SEC nos últimos 18 meses.

A empresa afirmou que ainda está tentando encontrar maneiras de resolver a situação, "incluindo, mas não se limitando a, avaliar se deve ou não adiar a data de lançamento".

Um dia antes da ação de emergência, o principal serviço de exchange e carteira de criptomoedas dos EUA, a Coinbase, anunciou que planeja fornecer seu suporte de custódia digital à Gram assim que ela for lançada.

Anteriormente, um custodiante de ativos digitais da empresa de software Anchor Labs declarou que seria a primeira entidade qualificada para apoiar a custódia institucional da Gram, observando que o token será lançado em 31 de outubro.