SWIFT, HSBC e Deutsche Bank realizam PoC de votação eletrônica baseado em blockchain

A rede global de transmissão financeira SWIFT (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication) está realizando uma prova de conceito (PoC, na sigla em inglês) blockchain para votação eletrônica de acionistas com grandes instituições financeiras globais. O anúncio foi realizado nesta quarta-feira, 06 de março, pela SWIFT.     

De acordo com o comunicado, o PoC será conduzido na região da Ásia-Pacífico em conjunto com o Deutsche Bank, DBS, HSBC, Standard Chartered Bank (provedor de software de títulos SLI) e com a Singapore Exchange (SGX). O teste destina-se a estabelecer se a tecnologia de registro distribuído (DLT) pode simplificar o gerenciamento das reuniões dos acionistas.

O teste, que deve ser executado durante o primeiro semestre de 2019, pretende atingir quatro objetivos principais, explica o comunicado. Em primeiro lugar, ele é projetado para testar a implantação de uma solução de votação em colaboração com os emissores e um Central Securities Depository (CSD), ao armazenar e gerenciar dados em uma blockchain privada autorizada.

Em segundo lugar, o PoC também procura demonstrar a viabilidade de soluções híbridas “combinando mensagens e DLT para promover a interoperabilidade e evitar a fragmentação do mercado.”

A iniciativa também testará a capacidade da SWIFT de hospedar aplicativos de terceiros em seu ambiente DLT, bem como reutilizar sua segurança e interfaces.

Por fim, o PoC procura confirmar o uso de um padrão financeiro de intercâmbio de dados eletrônicos - ISO 20022 - no processo.

Enquanto DBS e SGX serão participantes e emissores da iniciativa, o HSBC, o Deutsche Bank e o Standard Chartered Bank serão apenas participantes. De acordo com o comunicado, todo o projeto será facilitado pelo ambiente de testes sandbox DLT da SWIFT.

Além disso, a rede e a infraestrutura existentes da SWIFT serão usadas para acessar, testar e validar a aplicabilidade da tecnologia.

O comunicado cita um executivo da SWIFT:

“O surgimento da tecnologia blockchain é uma nova oportunidade para melhorar os processos atuais. É também uma oportunidade para a SWIFT oferecer flexibilidade na adoção desta nova tecnologia, através da reutilização de soluções baseadas no ISO 20022, juntamente com um alto nível de segurança e resiliência que a nossa indústria requer.”

Como informado pelo Cointelegraph no final de janeiro, a SWIFT revelou que planeja lançar um PoC de um gateway - apelidado de GPI Link - que permitirá à empresa de software de blockchain R3 se conectar aos pagamentos GPI (Global Payments Innovation) de sua plataforma.

Também no fim de janeiro, surgiram relatos de que o Irã planejava lançar durante a conferência de Bancos Eletrônicos e Sistemas de Pagamento em Teerã uma criptomoeda apoiada pelo Estado para contornar sanções dos Estados Unidos e do sistema SWIFT. A moeda, no entanto, não foi anunciada oficialmente.