Banco Central de Cingapura: Preocupações com o Libra do Facebook "não são triviais"

O banco central de Cingapura manteve discussões com o Facebook sobre sua vindoura criptomoeda Libra, informou a Bloomberg em 27 de junho.

Ravi Menon, diretor administrativo da Autoridade Monetária de Cingapura, supostamente reconheceu os potenciais benefícios do Libra - como tornar os pagamentos mais baratos ou apoiar os que não possuem conta em banco - mas disse que o órgão regulador precisa entender exatamente como o sistema da gigante de tecnologia funcionará.

Além de alertar que não está claro se o Libra ofereceria uma alternativa superior a outros mecanismos de pagamento eletrônico, Menon disse que Cingapura estaria buscando garantias sobre questões de segurançaprivacidade antes de tomar uma decisão regulatória. Em uma coletiva de imprensa, ele acrescentou:

“O principal desafio é descobrir a natureza da fera. COm o que se parece e em qual caixa podemos colocá-lo. Neste momento ainda não temos certeza."

Menon também alertou que as preocupações levantadas pelos bancos centrais em todo o mundo "não são triviais".

O Facebook vem recebendo uma pressão considerável dos órgãos reguladores desde o lançamento do white paper de sua tão esperada criptomoeda.

No início desta semana, o presdente do Banco da França, Villeroy de Galhau, alertou que o Libra terá que cumprir as normas bancárias do país e pode precisar de uma licença para operar.

Também foi confirmado que o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara dos EUA realizará uma audiência sobre a libra em 17 de julho.

Enquanto isso, o chefe da Autoridade Federal de Supervisão Financeira da Alemanha pediu aos governos e bancos centrais de todo o mundo para que trabalhassem juntos na formação de um marco regulatório internacional.