Banco Central da França diz que o Libra do Facebook pode precisar de licença bancária

O presidente do Banco da França, François Villeroy de Galhau, disse que a stablecoin Libra do Facebook deve obedecer à regulações de combate à lavagem de dinheiro e buscar licenças bancárias caso os ofereça, reportou a Reuters em 25 de junho.

De acordo com a reortagem, Villeroy admitiu durante uma entrevista para a revista francesa L'Obs que há espaço para melhorar as transferências de dinheiro transfronteiriças. Ele também apontou que o projeto Libra do Facebook tem que cumprir a regulamentação bancária existente porque "os riscos aumentam pelo anonimato que os usuários do Libra teriam".

Villeroy também aventou os possíveis requisitos para uma licença bancária:

“Se o projeto pretende ir além dos pagamentos para oferecer serviços bancários como depósitos, ele terá que ser regulamentado como um banco com uma licença bancária em todos os países em que ele opera. Caso contrário, seria ilegal”.

Como a Reuters relatou em 25 de junho, o membro suplente da diretoria do Banco Nacional da Suíça, Thomas Moser, disse na Crypto Valley Conference em Zug teria dito que está com mente aberta sobre o projeto de criptomoeda do Facebook:

“No geral, acho que é um desdobramento interessante e estou bastante tranquilo quanto a isso. [...] Eles indicaram claramente que estão dispostos a jogar de acordo com as regras, eles entraram em contato com os reguladores.”

O chefe do líder de mercado do Banco da Itália e do sistema de pagamento supostamente declarou que deseja obter mais informações sobre o projeto Libra.

Como o Cointelegraph informou recentemente, o Ministro da Economia e Finanças da França pretende “pedir garantias” do Facebook em relação a sua futura moeda digital Libra. Maire também pediu aos presidentes dos bancos centrais do G7 que relatassem quais garantias seriam obtidas do Facebook.

Na última segunda-feira, um ex-assessor econômico do presidente dos EUA, Donald Trump, expressou seu apoio à stablecoin Libra do Facebook.