Presidente da reguladora alemã BaFin apela por padrões bancários globais em resposta ao Libra do Facebook

O presidente da Autoridade Federal de Supervisão Financeira (BaFin) da Alemanha apelou aos reguladores para que eles desenvolvam normas para responder à aguardada criptomoeda do Facebook, o Libra, segundo o Cointelegraph Deutschland publicou em 26 de junho.

Falando no International Club Frankfurter Wirtschaftsjournalisten, o presidente da BaFin Felix Hufeld disse que os legisladores e reguladores não podem se abster das questões trazidas pelo Libra do Facebook, já que diversas dúvidas sobre controle devem ser consideradas quando a moeda for lançada.

Hufeld disse ainda que é possível que medidas regulatórias sejam introduzidas pela BaFin, mas também apontou para a necessidade de uma estrutura regulatória internacional:

"Certamente não podemos ficar só observando. Teremos que responder da forma correta. Só posso esperar que consigamos desenvolver pelo menos padrões básicos europeus, se não globais".

Além disso, Hufeld alertou sobre os perigos que os bancos correm com dinheiro a baixo custo, dizendo que uma redução das taxas de juros pode colocar ainda mais pressão nos bancos. Isso poderia levar os bancos a fundirem ou alterarem seus modelos de negócios.

Outros players do mercado financeiro europeu também falaram sobre os possíveis efeitos do Libra na economia. No começo da semana, o diretor do Banco da França Francois Villeroy de Galhau disse que a stablecoin Libra deve estar em conformidade com a regulação contra lavagem de dinheiro e obter licenças bancárias se quiser oferecer serviços bancários.

Um outro membro do conselho do Banco Nacional da Suíça, Thomas Moser, disse durante a Crypto Valley Conference, em Zug, que: "No geral, acho que [o Libra] é uma iniciativa interessante e estou bastante tranquilo com relação a isso. [...] Eles indicaram claramente que estão dispostos a jogar de acordo com as regras, eles entraram em contato com os reguladores. ”