NYAG solicita que Bitfinex seja forçada a divulgar documentos de acordo com a Tether

Letitia James, Procuradoria Geral do Estado de Nova Iorque (NYAG), solicitou a divulgação de documentos relativos a um alegado acordo entre a exchange de criptomoeda Bitfinex e o operador da stablecoin Tether. O memorando de leis da NYAG foi apresentado em 3 de maio.

O memorando de lei pede mais transparência e afirma “que a Bitfinex e a Tether enganaram seus clientes e investidores”. A declaração também explica por que o Gabinete do Procurador Geral do Estado sente a necessidade de solicitar tais documentos:

“Embora essa e outras discrepâncias não alterem as questões centrais [...] neste caso, elas só aumentam a necessidade do OAG [Instituto do Procurador Geral] de obter documentos e informações de maneira oportuna e organizada, para que o OAG possa entender o que aconteceu e o que continua acontecendo nessas empresas.”

O documento também observa que as autoridades "solicitaram uma medida cautelar para preservar o status quo e evitar que os entrevistados dissipem ainda mais as reservas de caixa que supostamente apoiam a moeda virtual, aguardando a conclusão da investigação do OAG".

A NYAG também afirma que o caso em andamento não impediu que a Bitfinex e a Tether continuassem “a operar seus negócios no curso normal, como continuaram a fazer desde a liminar”.

Como o Cointelegraph noticiou anteriormente, no final de abril, a NYAG alegou que a Bitfinex havia perdido US$ 850 milhões e usado subseqüentemente fundos da empresa afiliada Tether para cobrir secretamente o déficit.

Pouco depois, a Tether e a Bitfinex responderam às acusações com uma declaração alegando que os documentos judiciais apresentados pelo escritório do Procurador-Geral de Nova York estavam “repletos de falsas afirmações”.

No último sábado, o Cointelegraph informou sobre documentos divulgados por um acionista da Bitfinex que confirmam que a exchange está planejando uma oferta inicial de exchange de quase US$ 1 bilhão de seu novo token, o LEO.

No início desta semana, um indiciamento de dois indivíduos por múltiplas acusações revelou uma conexão aparente com os serviços bancários paralelos que foram usados ​​pelas exchanges cripto Bitfinex e QuadrigaCX.