Tether volta a carga contra afirmações que suas reservas foram usadas para cobrir um prejuízo de US$850 milhões da Bitfinex

A operadora da stablecoin Tether respondeu às alegações de que seus fundos foram usados ​​para cobrir um prejuízo de US$ 850 milhões na Bitfinex — usando um declaração de 26 de abril para alegar que os documentos apresentados pelo gabinete do Procurador Geral de Nova York estão "cheios de afirmações falsas".

Letitia James, procuradora do estado, acusou Tether, Bitfinex e entidades associadas de violar a lei de Nova York por meio de atividades que podem ter enganado os investidores em cripto no estado. De acordo com os documentos judiciais, a exchange pegou centenas de milhões de dólares das reservas da Tether para esconder as perdas dos investidores, além de sua incapacidade de processar os saques dos clientes.

A declaração da Tether, também divulgada pela Bitfinex, disse:

“Os documentos judiciais do Procurador-Geral de Nova York foram escritos de má fé e estão repletos de afirmações falsas, inclusive sobre um alegado prejuízo de US$ 850 milhões na Crypto Capital. Pelo contrário, fomos informados de que esses valores da Crypto Capital não estão perdidos, mas foram, de fato, apreendidos e salvaguardados. Estamos trabalhando ativamente para exercer nossos direitos e possibilidades de obter esses recursos liberados”.

O comunicado conjunto afirmou que o gabinete da procuradora-geral de Nova York “parece ter a intenção de minar os esforços” para liberar os fundos e alertou que isso seria em detrimento de seus clientes.

As duas empresas insistiram que cooperaram totalmente com os promotores e pediram à Procuradoria Geral da República que "concentre seus esforços na tentativa de ajudar e apoiar nossos esforços de recuperação".

Prometendo contestar os processos judiciais, a declaração acrescentou:

“Tanto Bitfinex quanto Tether são financeiramente fortes - ponto final. E ambas estão empenhadas em combater esse grande disparate do escritório da Procuradoria Geral de Nova York contra empresas que são bons cidadãos corporativos e fortes apoiadores da lei.”

Em janeiro de 2018, críticos da Tether alegaram que a criptomoeda, que afirmava ter US$ 1 em reserva para cada unidade de stablecoin emitida, estava, de fato, operando uma reserva fracionária e emitindo mais tokens do que teria a capacidade de cobrir. Em junho do ano passado, a Tether disse que uma auditoria não oficial havia mostrado que sua moeda digital estava apropriadamente garantida.

Tanto a Bitfinex quanto a Tether - que compartilham um CEO - já haviam recebido intimações de reguladores dos EUA por razões ainda não reveladas em dezembro de 2017.