Caso MyAlice que envolve 100 Bitcoins 'perdidos' chega à Justiça no Brasil

A Justiça do Estado de São Paulo recebeu a primeira ação judicial referente a empresa MyAlice, uma plataforma de investimento com Bitcoin e criptomoedas no Brasil que, supostamente teria prejudicado clientes em cerca de 100 bitcoins.

No processo aberto, um usuário que se sentiu lesado pela empresa, prede a devolução de 2 bitcoins que supostamente estariam custodiados na plataforma e alega que os operadores do MyAlice realizaram "práticas abusivas". Ainda não há decisão sobre o caso.

O caso MyAlice tem repercutido na comunidade brasileira de Bitcoin e criptomoedas por conta do desencontro de informações e da possível articulação entre ex-sócios da empresa que teriam vendido a plataforma para esconder sua insolvência. No entanto, no decorrer dos acotecimentos, supostamente um dos sócios teria enganado também os seus parceiros na articulação.

O Cointelegraph vem acompanhando o caso e mostrou que uma série de desconfortos entre os sócios resultaram em uma ruptura na sociedade e em um áudio, após a ruptura, os sócios discutem a possibilidade da venda da plataforma como forma de ganhar tempo e fazer a reestruturação da empresa. 

“Um maluco que vai aceitar a p* toda. Vai ser feita uma suposta venda, o maluco vai assumir, até sábado vai travar uma conta e ele vai estar de frente segurando a p* toda”, afirma o áudio revelado pela reportagem.

Como reportou o Cointelegraph, recentemente a Justiça do Espírtio Santo, bloqueou Porsche, Maserati, BMW, Mercedes Benz e cerca de 11 caros de luxo que estariam supostamente em nome de Cláudio Oliveira, dono do Grupo Bitcoin Banco. De acordo com a decisão expedida pelo juiz Carlos Magno, novas empresas em nome de Claúdio e de membros de sua família foram descobertas e nelas veículos e outros bens estariam registrados e foram bloqueados, além de Cláudio outras 10 pessoas tiveram bens bloqueados por conta da decisão judicial.