Justiça determina perícia nas plataformas do Grupo Bitcoin Banco para identificar possíveis fraudes

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal determinou que seja feita uma perícia judicial nas plataformas do Grupo Bitcoin Banco, para aferir eventuais fraudes contra seus clientes, conforme decisão publicada hoje, 11 de outubro.

O texto da decisão judicial diz:

“A prova pericial é necessária, pois existe controvérsia quanto à apuração da extensão dos danos, bem como da análise das contas e operações realizadas via blockchain e fort knox. Assim, DEFIRO a produção da prova pericial postulada, a qual será custeada pela requerida NEGOCICOINS, nos termos do art. 95 do NCPC. Nomeio com perito o Sr. RODRIGO SANSON, PERITO JUDICIAL em Informática, CPF 695.705.820-49, telefone: 4003-9568 Fixo os seguintes quesitos judiciais:  1) Há valores indevidamente retidos, pertencentes ao autor, referente ao seu investimento na carteira 1EwE8AfuCxMXBE5yxzpYc4h6pddg5efFUc da corretora Blockchain? 2) Se sim, há fraudes nas transações efetivadas entre os demandantes?”

O processo foi aberto por um cliente que investiu nas plataformas do grupo mas não conseguiu reaver os valores aplicados, com o Bitcoin Banco justifiando um eventual ‘ataque hacker’ na plataforma para não pagar o credor.

Entretanto, desde que declarou o problema, o GBB não forneceu qualquer prova do caso e, mesmo tendo declarado saber a identidade dos supostos golpistas. O Grupo Bitcoin Banco també não resolveu o problema dos clientes que permanecem com os saques bloqueados até o momento.

Recentemente, Cláudio Oliveira, controlador do GBB, afirmou recentemente que só irá reestabelecer os saques dos clientes em 2020. 

Como noticiou o Cointelegraph, o  gabinete do Presidente da República do Brasil, Jair Bolsonaro, também recebeu uma denúncia sobre as atividades do Grupo Bitcoin Banco (GBB).

A denúncia partiu de um cliente da empresa, que se sentiu lesado por não conseguir retirar os Bitcoins aplicados na plataforma, que encontra-se com saques congelados desde o primeiro semestre do ano.

Não está claro qual atitude o gabinete pessoal da Presidência da República tomará frente ao caso envolvendo a empresa acusada de lavagem de dinheiro e pirâmide financeira. O caso a cada dia se populariza e ganha novos desdobramentos, como o suposto envolvimento do GBB no recente caso do empresário sequestrado e extorquido por policiais.

A reportagem teve acesso à resposta do gabinete de Bolsonaro e, segundo o texto, há interesse em entender melhor o que aconteceu para que então seja possível encaminhar o caso às autoridades federais.