John McAfee: 'autoridades não devem esperar que as empresas cripto combatam crimes relacionados às criptomoedas'

John McAfee disse que não é responsabilidade das empresas de criptomoedas ajudar a impedir o uso de criptos na prática de crimes. McAfee fez suas declarações em uma entrevista à agência de notícias The Hill, com sede em Washington D.C., em 11 de novembro.

McAfee argumentou que as autoridades não deveriam exigir que as empresas e plataformas de negociação de criptomoedas os ajudassem a controlar o uso da moeda digital para atividades ilícitas. Ele disse que espera que o "impacto social de libertar as pessoas de governos sobrecarregados e corrompidos" prevaleça sobre "que pequena parte dos criminosos que utiliza esta tecnologia". E acrescentou:

"Você não pode me responsabilizar como empreendedor. Você não pode exigir que eu o ajude a impedir o que pode ser um crime futuro. "

Como o Cointelegraph noticiou em agosto passado, a Rede de Execução de Crimes Financeiros dos Estados Unidos revelou que a agência havia registrado um aumento nos registros de Relatórios de Atividades Suspeitas relacionadas a criptomoedas, cujo número ultrapassava 1.500 por mês na época.

Players do setor são proativos no combate ao uso de criptos para crimes

Apesar das afirmações da McAfee de que as empresas de criptomoedas não são responsáveis por rastrear comportamentos suspeitos associados às moedas digitais, outros participantes do setor estão assumindo um papel mais ativo.

Recentemente, a empresa de análise de blockchain Chainalysis lançou alertas para transações suspeitas nas 15 principais criptomoedas. A ferramenta visa ajudar as exchanges de criptomoedas e outras instituições financeiras a diminuir riscos regulatórios e de reputação.

De acordo com um relatório da Chainalysis divulgado nesta primavera, 64% das estratégias de saque de ataques de ransomware envolviam lavagem de fundos por meio de trocas de criptomoedas, 12% envolviam serviços de mistura e 6% envolviam redes ponto a ponto, enquanto outros usavam provedores de serviços comerciais ou mercados da dark web.

No entanto, no final de agosto, a Chainalysis revelou que os fundos roubados representavam apenas 8,1% de todos os fundos enviados aos mixers de criptomoeda.