Irã declara as aspirações cripto do Telegram um ato contra a segurança nacional

O governo iraniano tomou medidas adicionais contra o desenvolvimento de criptomoedas do Telegram, informou o jornal Teerã Times em 31 de dezembro.

O secretário da Força Tarefa de Definição de Conteúdo Criminal, Javad Javidnia, declarou que qualquer cooperação com o aplicativo de mensagens criptografadas para lançar seu token Gram será considerada um ato contra a segurança nacional e uma disrupção da economia nacional. Javidnia declarou:

“Um dos fatores mais importantes na proibição do Telegram foi a sensação de séria ameaça econômica por causa de suas atividades, que infelizmente foi marginalizada e negligenciada devido à agitação na atmosfera política do país.”

O Irã baniu o aplicativo pela primeira vez em abril, quando o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, disse que as agências do governo não usariam mais o aplicativo. O Judiciário do país subsequentemente proibiu completamente seu uso. Em dezembro de 2017, o Irã bloqueou temporariamente o Telegram e o aplicativo de compartilhamento de fotos Instagram para “manter a paz” em meio a protestos generalizados.

Antes da proibição, as autoridades iranianas criticaram o aplicativo, afirmando que sua oferta inicial de meodas (ICO) estava potencialmente “minando a moeda nacional do Irã”. Hassan Firouzabadi, secretário do Alto Conselho do Ciberespaço, aprovou a proibição sugerida ao potencial do Telegram de levar a criptomoeda a todos seus usuários iranianos.

Firouzabadi se referiu ao Telegram como um “inimigo do setor privado”, já que “a empresa resposnável pelo Telegram nunca [concordou] em ter um escritório no Irã e se recusou a trabalhar com o setor privado”.

O aplicativo de troca de mensagens da indústria de cripto também foi banido da Rússia devido à preocupações com sua ICO, com a possibilidade de um "sistema financeiro completamente descontrolado" tendo levado ao bloqueio.

O Telegram angariou cerca de US $ 1,7 bilhão em duas rodadas de financiamento no início deste ano, uma das maiores do setor. A ICO buscou investimentos para apoiar o desenvolvimento do aplicativo de mensagens Telegram e sua própria plataforma blockchain, a Telegraph Open Network.

O bilionário russo Roman Abramovich teria participado da primeira rodada da ICO. Pessoas familiarizadas com o assunto disseram à imprensa russa que Abramovich investiu US $ 300 milhões. Jon Mann, porta-voz de Abramovich, não fez comentários sobre se Abramovich participou, mas negou a alegação de US $ 300 milhões.