Investigada pela CVM, empresa de marketing multinível YouXWallet faz ação social na Rocinha mas atua irregular no Brasil

A suposta pirâmide financeira, YouXWallet, que afirma realizar operações com Bitcoin, possivelmente liderada por Joab Santos, realizou uma ação beneficente no último dia 13 de outubro na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro. Segundo a empresa a ação teria sido realizada pela YouXLife, reponsavel por ações sociais da empresa.

De acordo com a YouXWallet, quando os usuários pedem um saque dentro da plataforma é gerada uma taxa, sendo que 5% desta taxa é encaminhado para ações sociais. No caso da Rocinha, foram cerca de 7 mil brinquedos (jogos, bicicletas, patinetes, bonecas, carrinhos, bolas, entre diversos itens).

O evento também teve participação de shows musicais, como da dupla Patati Patatá, peças de teatro, equipe de animadores e recreadores e mágicos. Também contou com brinquedos infláveis, escorrega, labirinto e piscina de bolas.

No entanto, apesar da ação social, a YouXWallet pode acabar prejudicando diversas pessoas em todo o Brasil por conta de uma suposta atuação ilegal no país. A empresa que afirma oferecer ganhos diários, binários e outras formas de remuneração que podem permitir rentabilidade acima de 3% ao dia, também declara que realiza operações para os clientes no mercado Forex.

Mas, segundo diversas determinações e alertas da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) o mercado Forex é proibido no Brasil e não há qualquer empresa autorizada a atuar neste mercado ou oferecer serviços baseados nestes sistema.

Além disso a empresa é acusada de pirâmide financeira e não tem registro na CVM. A YouXWallet chega a prometer mais de 400% de retorno sobre investimentos, valor considerado 'irreal' por especialistas do mercado.

"Considerando que até o presente momento não há qualquer oferta relacionada ao mercado Forex registrada na CVM, ou corretora autorizada pela autarquia a atuar nesse mercado, qualquer oferta feita no Brasil é ilegal. Isso inclui, mas não se limita, ofertas feitas por instituições estrangeiras por meio da internet", diz um alerta sobre o tema publicado no ano passado pela CVM

Joab dos Santos Souza, um dos supostos operadores da YouXwallet, já teria participado da Sion Boulevard, uma empresa que atuava no ramo de Marketing Multinível e que também teria atividades suspeitas. 

"Só não enxerga a mudança que o mundo atravessa quem não quiser ver. O Multinível de produtos é maravilhoso, mas as criptomoedas, o mundo FOREX, os cursos e serviços, chegaram com custos fixos baixos e alta lucratividade", teria dito Souza em um suposto evento de lançamento da empresa em julho de 2019.

A YouXwsallet afirma possuir empreendedores em "Portugal, Estônia, Lituânia, EUA, Chile, Colômbia e China", além de mais de 4 mil clientes no Brasil e 'aprovação' de reguladores internacionais e associações nacionais de marketing multinível.

Em um comunicado a CVM  alertou ainda para as principais características atreladas a supostos golpes financeiro como:

"i. divulgação (ofertas) de oportunidades de investimentos ou operações com promessa de alta lucratividade, cujos rendimentos ou lucros anunciados são muito superiores aos que poderiam ser obtidos no mercado formal, por meio de negócios regulares. Essas ofertas omitem o quão arriscadas deveriam ser, não fossem elas fraudulentas, pois é certo que quanto maior o rendimento esperado, maior também deve ser o risco esperado.
i. Essas propagandas falham em demonstrar claramente a viabilidade econômica do “investimento”;
iii. oportunidades de investimentos com supostas garantias reais ;
iv. promessa de alta liquidez, com a possibilidade de saques semanais ou até mesmo diários;
v. a adesão à oferta normalmente requer a indicação de um “patrocinador”, isto é, a pessoa à qual o novo participante ficará vinculado, posicionando-se imediatamente abaixo dela na pirâmide;
vi. essas propagandas de investimentos, operações ou negócios podem fazer menção a diferentes ativos e mercados, tais como o de moedas (Retail Foreign Exchange ou Forex), ações e outros ativos negociados em bolsa de valores, opções binárias, criptomoedas (bitcoins, Ethereum, etc.), títulos públicos (NTN-A ou Letras Tesouro Nacional – LTN, supostamente emitidas nos anos 70 e sob a forma impressa ou cartular), ativos florestais (mogno, eucalipto, etc.), ouro, diamantes, criação e engorda de animais (boi, avestruz, etc.); cotas de participação em franquias, empresas, fundos ou clubes de investimento;
vii. pouca informação sobre a empresa ofertante, o produto, o serviço, o suposto negócio ou o investimento;viii. empresa, projeto, negócio ou empreendimento novos, sem histórico verificável;
viii. reclamações nos Órgãos de Defesa do Consumidor (PROCON) ou em sites especializados, como o Reclame Aqui;
ix. falta de registro no órgão regulador e fiscalizador competente (CVM, Banco Central, SUSEP, etc.);
x. exigência de pagamento inicial sem clara contrapartida em produtos, serviços ou participações, normalmente com um prazo mínimo de carência para os “saques” ou “resgates”. Esse pagamento inicial pode se dar na forma de “investimento”, “taxa de adesão”, compra de kits de produtos, assinatura de “contas”, compra de cotas de participação, etc.;
xi. ênfase na captação de outras pessoas para o negócio ou "projeto”, por meio da indicação de novos "afiliados", sócios, investidores ou participantes;
xii. propagandas que dão amplo destaque unicamente aos benefícios, facilidades, lucros, rendimentos, premiações, bônus (tal como o bônus binário) e diversas outras vantagens."

.Como noticiou o Cointelegraph, sócios da suposta pirâmide financeira, Wolf Trade Club estão sendo presos, hoje, 16 de outubro, em Curitiba, por conta de operações da Polícia Civil do Estado que também está cumprindo mandados de busca e apreensão de bens da empresa. No total são cerca de 20 mandados sendo executados.

A empresa que já tinha sido proibida de atuar no Brasil pela Comissão de Valores de Valores Mobiliários (CVM), por meio da Deliberação CVM 822, oferecei rendimentos de até 3% ao dia. Embora uma matéria mais cedo do Cointelegraph não tenha revelado as operações da empresa, a WTC não afirmava realizar operações com Bitcoin criptomoedas.