Lideres financeiros do G20 pedem aos reguladores globais que considerem uma resposta multilateral às criptomoedas

Os ministros das Finanças do G20 e os presidentes dos bancos centrais pediram ao Conselho de Estabilidade Financeira (Financial Stability Board - FSB) e às organizações globais de definição de padrões que monitorem os riscos em torno das criptomoedas. O pedido foi feito em um comunicado conjunto publicado no site do Ministério das Finanças do Japão em 9 de Junho, na sequencia das reuniões do G20 realizada em Fukuoka, Japão .

Os líderes que assinaram o documento declaram que é preciso que as instituições multilaterais considerarem mais os criptoativos e proponham uma ação apropriada:

"Pedimos ao FSB e aos órgãos de definição de padrões para monitorar os riscos e considerar o trabalho em respostas multilaterais adicionais, conforme necessário."

A declaração conjunta também aponta que “inovações tecnológicas, incluindo aquelas subjacentes a criptomoedas, podem trazer benefícios significativos ao sistema financeiro e à economia em geral”. Essa frase exata também foi incluída no documento divulgado após a cúpula do G20 realizada em julho do ano passado em Buenos Aires. Depois de expressar tal otimismo, os autores do artigo também levantaram preocupações sobre essas tecnologias:

“Enquanto as criptomoedas não representam uma ameaça para a estabilidade financeira global neste momento, nós permanecemos vigilantes a riscos, inclusive aqueles relativos a consumo e proteção dos investidores, anti-lavagem de dinheiro ( AML ) e combater o financiamento do terrorismo (CFT).”

A mais recente declaração observa que as partes envolvidas aguardam com expectativa a adoção da Nota Interpretativa do Grupo de Ação Financeira ( GAFI ) e orientação sobre criptomoedas “no plenário [do GAFI] no final deste mês.” Os líderes também declararam que reafirmam seu compromisso. para aplicar as normas do GAFI recentemente apresentadas para as criptomoedas.

O documento também afirma que os ministros das finanças e os presidentes dos bancos centrais saúdam o trabalho de criptomoeda realizado por órgãos reguladores internacionais, a Organização Internacional das Comissões de Valores Mobiliários e o FSB.

Como a Cointelegraph informou ontem, a empresa de análise de blockchain Chainalysis, que “se envolveu diretamente com reguladores globais”, observou que seria surpreendente se as partes envolvidas concordassem em algo novo durante a cúpula do G20 deste ano.

Em abril, a mídia japonesa informou que durante a reunião de presidentes dos bancos centrais e ministros de finanças em Fukuoka, os líderes deveriam estabelecer novos regulamentos de AML.