Facebook revisa política de propaganda para material relacionado a blockchain e cripto

A propaganda relacionada à tecnologia e notícias relacionadas a blockchain, assim como eventos e material educacional sobre criptomoedas agora poderão ser vistos no Facebook sem aprovação prévia. A gigante das mídias sociais anunciou a mudança no Facebook Business em 8 de maio.

O fato mostra uma mudança com relação ao ano passado, quando o Facebook implementou uma política que requeria que promotores de criptos e blockchain tivessem aprovação prévia antes de rodar suas campanhas. O comunicado diz que especificamente esta mudança não será aplicada à propaganda que busca promover uma criptomoeda em particilar, e campanhas de oferta de moeda inicial (ICOs) permanecem proibidas.

O propósito de tais restrições seria prevenir que usuários do Facebook caíssem em propaganda maliciosa. The stated purpose of such restrictions is to prevent Facebook users from falling prey to misleading advertisements. Anunciantes que buscam promover um produto em particular ou uma criptomoeda específica, uma exchange, ou software e hardware de mineração terão de passar por triagem rigorosa que inclua o seguinte:

“... as licenças que já obtiveram, sejam elas negociadas em uma bolsa de valores pública (ou uma subsidiária de uma empresa pública) e outras informações relevantes sobre seus negócios.”

Como já noticiado pelo Cointelegraph, a decisão do Facebook de proibir campanhas de criptomoedas e ICO em janeiro de 2018 foi criticada como desnecessária e ruim para o desenvolvimento tecnológico. Dejun Qian, fundador da FUSION, comentou à época:

“Esta política irá definitivamente proteger as pessoas contra os golpes de projetos predatórios. Porém, anunciar uma política 'intencionalmente ampla' é sempre o caminho mais fácil e não necessariamente a melhor rota para o desenvolvimento tecnológico. Não acredito que proibir anúncios de comércio eletrônico apenas porque as pessoas enfrentam o risco de comprar produtos falsificados é uma boa ideia.”

No começo da semana, o Facebook teria adquirido direitos sobre a marca “Libra” para seu projeto de criptomoeda secreto. A empresa estaria buscando investimentos de US$ 1 bilhão para um token nativo que poderia ser utilizado no Facebook, Instagram e WhatsApp.