Ex-lider da Telexfree que operava com criptomoedas é preso por pirâmide de diamantes

Um ex-líder da pirâmide financeira Telexfree, caso mais famoso de crime contra a economia popular do Brasil, foi preso em Vitória (ES) por ter participado de uma outra pirâmide, que envolvia diamantes. Segundo o Ministério Público, ele trabalhava atualmente com criptomoedas. A notícia é do jornal capixaba A Gazeta.

Dilhermano Pereira Gonçalves teria sido preso por envolvimento no esquema fraudulento Pay Diamond, que prometia rendimentos no investimento em "diamantes". A suposta empresa dizia lapidar diamantes para comercialização, prometendo grandes lucros aos associados.

A prisão foi feita pelas forças policiais do Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) a pedido da Justiça de São Paulo. Dilhermano foi denunciado com outras quatro pessoas por crimes contra a economia popular.

Segundo o Ministério Público paulista, os golpes afetaram "inúmeras pessoas dentro e fora do Brasil, envolvendo milhões de reais". O MP-SP também diz que Dilhermano trabalhava com criptomoedas atualmente.

Segundo a matéria, Dilhermano ficou famoso no Espírito Santo por protagonizar vídeos entrevistando o dono da Telexfree, Carlos Costa, e outras lideranças, como Renato Alves, suspeito de pagar um show de Paul McCartney em Vitória com dinheiro da famosa "maior pirâmide do mundo".

Dilhermano seria apontado como diretor da Pay Diamond, atraindo investidores através de grupos de Whatsapp e promovendo encontros com novos integrantes em hotéis de luxo da capital estadual. Ele admitiu envolvimento nas atividades da Pay Diamonds, admitindo ter recebido mais de R$ 300 mil.

Finalmente, o texto diz que as autoridades dizem que ele "obteve ganhos ilícitos mediante especulações e em processos fraudulentos, como pirâmide financeira".