Unick Forex continua sem pagar rendimentos de Bitcoin e promete lançar a Unick Safe, Unick Tour, Unick Beauty e Unick Store

Mesmo sem pagar os investidores que aplicaram valores esperando rendimentos por negociações em Bitcoin no mercado Forex, a Unick Forex, destacou que lançará um novo plano de negócios em nomvembro de 2019.

Os sócios da empresa, que promete rendimentos de até 30% sobre supostas aplicações em criptomoedas, estão sendo investigados pela Polícia Federal por diversos crimes, entre eles, evasão de divísas e lavagem de dinheiro.

A empresa também responde um processo na Comissão de Valores Mobiliários do Brasil (CVM) que já alertou diversas vezes para a companhia para com suas atividades, o que, nas palavras da própria Unick, não ocorreu.

Além disso, a empresa enfrenta uma enorme crise de saques. Mais de 12 mil reclamações já foram registradas contra a empresa por atraso no pagamento dos supostas investimentos em Bitcoin, Há relatos de pessoas que tem seu saldo bloqueado há mais de quatro meses.

No entanto, apesar de toda a crise a Unick alega que suas atividades estão normais e que a empresa lançara um novo material promocional destacando as novas ofertas de investimento da empresa, ignorando totalmente os alertas da CVM e as investigações sobre a companhia.

Nos novos materiais a empresa alega que não é um 'clube de investimento' e tampouco que faz negociações no mercado Forex (que é proibido no Brasil pela CVM), as mudanças, provavelmente buscam 'despistar' as autoridades, já que o objetivo do novo material continua o mesmo, angariar dinheiro de pessoas oferencendo rendimento e bonificações 'garantidas'.

Para 'camuflar' suas atividades a Unick pretende ser um 'ecossistema' que envolve o Smith, que seria a plataforma de cursos para o mercado financeiro; a Unick safe, para comercialização de seguros; a Unick Tour, que trabalharia no ramo de turismo; a Unick Beauty, programada para os cosméticos; a CryptoQuadra que seria uma criptomoeda supostamente lastreada em investimentos no mercado imobiliário e a Unick Store, um suposto marketplace para comercialização de produtos.

O 'motor' de todo este ecossistema, no entanto, continua o mesmo, bonus por indicações, compra de pacotes com promessas de lucros acima de 10% entre outros. Além disso, segundo um levantamento, a empresa não teria qualquer autorização para trabalhar como agente credenciado nos campos em que promete desempenhar atividades, como turismo e seguros.

Como noticiou o Cointelegraph, recentemente William Garcez, delegado da Polícia Cívil do Rio Grande do Sul, declarou que não tem dúvidas de que a Unick Forex é uma pirâmide financeira e encaminhou o caso para a Polícia Federal.

O delegado vinha investigando as atividades da empresa, que afirma investir em Bitcoin, desde que fechou a sede da Unick no primeiro semestre do ano. A Unick vem sendo investigada também pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil, CVM e, há mais de sete meses, pela Polícia Federal.

Garcez também disse que todos os indiciados, que supostamente comando 'o golpe', lideram o esquema e estão praticamendo crimes, inclusive crimes contra a economia popular e contra o sistema financiero, incluindo lavagem de dinheiro

“É pirâmide. Iam colocando mais gente para dar mais lucro. Depois se evidenciaram mais delitos que envolvem lavagem de dinheiro e crime contra o sistema financeiro (...) Quando diz a ação na Unick o objetivo era evitar novas vítimas, no entanto, mesmo assim mais pessoas foram entrando", declarou.