Depois de Rede Globo, Xuxa e Michael Jackson, Marlene Mattos pode ser diretora de programa suspeito de golpe

O empresário Claudio Di Lucca, CEO da Revista Sucesso Network e presidente da Abranetwork, anunciou a criação de um programa audiovisual chamado TV Sucesso que, segundo Lucca será dirigido pela ex-diretora da Rede Globo de Televisão, Marlene Mattos.

Lucca destaca que o programa contará "com entrevistas com os maiores executivos do país; visita a casa dos maiores líderes do segmento; visita a sede das empresas e fábricas; notícias de lançamento de produtos, quadro Transformação de Vida e grandes coachs dando dicas valiosas para o sucesso pessoal, profissional e financeiro", alegou.

Contudo, antes mesmo de seu lançamento, o programa já levanta suspeitas nas redes sociais pois, segundo denúncias, o programa deve atuar da mesma forma que a Abranetwork e promover supostas pirâmides financeiras que acabam por enganar seus usuários, como é o caso de diversas empresas que afirmavam possuir o certificado da Abranetwork e são divulgadas em meios de comunicação da empresa.

Empresas como YouXWallet, Ronaldinho 18k, a primeira sendo investigada pela Comissão de Valores Mobiliários do Brasil, CVM e a segunda impedida de atuar no Brasil, são exemplos de companhias divulgadas em meios de comunicação pertencentes ao grupo de Lucca. Ambas prometiam alto retorno sobre investimentos feitos e garantiam até 4% ao dia por meio de aplicações.

Contudo, nenhuma delas tinha autorização ou dispensa da CVM para atuar com investimentos em reais ou em Bitcoins. A CVM inclusive abriu processo para investigar a Abranetwork e suas operações  que, supostamente, acabam 'legitimando' supostos golpes.

Mattos foi uma das principais diretoras da TV Brasileira sendo responsável pela carreira da apresentadora Xuxa Meneghel. A ex-diretora também produziu programas de Luciano Hulk, Ana Maria Braga. Atuou como empresária dos jogadores de futebol Kaká e Dida, das jogadoras de volei, Virna e Leila. Também foi responsável em 1993 pela única turnê de show se Michael Jackson no Brasil, a Dangerous World Tour.

O Cointelegraph buscou contato com a diretora mas, até o momento, não obteve resposta.

Como noticiou o Cointelegraph, acusada de operar um sistema de pirâmide financeira baseada em Bitcoin e criptomoedas, a Dreams Digger entrou na Justiça buscando censurar reportagens que tragam informações contrárias a empresa e iniciou um processo contra o Google por exibir links, em seu mecanismo de busca, para as reportagens consideradas caluniosas pela empresa.

Confira mais notícias