A2 Trader é fechada e tem seu prédio saqueado em Natal (RN); Polícia é chamada

Nota: Este texto foi corrigido em 7 de novembro.

A empresa de investimentos cripto com retornos "exorbitantes" A2 Trader, que é investigada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pelos crimes de fraude e pirâmide financeira, foi fechada nesta terça-feira depois de uma ação policial no prédio em que funcionava a empresa. O prédio teria sido saqueado por "investidores furiosos", que só pararam depois da chegada da polícia, como noticiou o jornal local Tribuna do Norte.

Por meio de nota nas redes sociais, o "empresário" dono da empresa, Kleiton Alves, que se exibia e desafiava a CVM do Brasil há poucas semanas, disse que encerrou a empresa devido a uma "enxurrada de processos" por "motivos banais", dizendo que a decisão teria sido tomada "antes que houvesse um bloqueio judicial das contas".

Segundo Alves, os investidores que já conseguiram recuperar o montante investido não serão mais pagos pela empresa, apesar de esperar por seus rendimentos pelos investimentos:

"Se você já lucrou na empresa, show de bola. Fale bem dela. Se você já lucrou, a empresa não tem mais nada a te pagar. Se não lucrou, não se desespere porquê você vai ter a raiz devolvida."

Depois do anúncio de fechamento, pessoas foram à sede da empresa, no bairro Cidade Jardim, em Natal (RN), e depredaram o local. Vídeos nas redes sociais mostram os invasores carregando TVs, cadeiras e mesas da sede. A Polícia do Rio Grande do Norte informou que atendeu a um chamado e compareceu ao local para atender à ocorrência.

A promessa inicial da A2 Trader era oferecer lucro diário de 4% sobre o investimento em Bitcoin, o que chamou a atenção da CVM, que abriu investigação.

Logo depois, o CEO apareceu em uma transmissão ao vivo, declarando que as proibições da CVM eram "fake news" e dizendo que o dinheiro de seus investidores estaria investido no mercado forex, no exterior, prática proibida.

Continue lendo: