CVM investiga mais três empresas de marketing multinível cripto sob suspeita de pirâmide financeira

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) do Brasil está investigando mais três empresas que oferecem investimento em marketing multinível ligado a criptomoedas, sob acusação de operarem pirâmides financeiras.

Segundo o portal Pernambuco Notícias, as empresas A2 Trader, Blue Benx e NYC Technology têm oferecido a seus clientes grandes rendimentos através de diversas operações envolvendo Bitcoin e outras criptomoedas.

A nota do portal ainda diz que "uma das empresas opera um esquema supostamente fraudulento que oferece rendimentos impraticáveis". Como noticiado largamente pelo Cointelegraph Brasil, em 2019 uma série de pirâmides financeiras de criptomoedas surgiu no Brasil oferecendo rendimentos irreais e estabilidade no retorno de investimento, produtos que, pela natureza do mercado cripto, são insustentáveis.

Um dos casos também sob a mira da CVM é a da empresa Investimento Bitcoin, que chegou a veicular propaganda em alguns dos maiores veículos de mídia do Brasil, sendo posteriormente proibida de fazer publicidade pela autarquia sob acusação de promover fraude financeira.

Mais recentemente, a Investimento Bitcoin pediu junto à Junta Comercial pela mudança de nome para Investimento Bitcoin Brasil Unipessoal, conforme o Cointelegraph Brasil noticiou nesta terça-feira.