Canadá: exchanges de criptomoedas devem se registrar com o Financial Watchdog em junho

As exchanges de criptomoedas do Canadá serão legalmente obrigadas a se registrar no Centro de Análise de Transações Financeiras e Relatórios do Canadá (FinTRAC) a partir de 1º de junho de 2020, de acordo com um aviso publicado em 10 de julho.

Este requisito entrará em vigor juntamente com outras emendas às novas leis de combate à lavagem de dinheiro (AM ) do Canadá no próximo ano.

Também será exigido que as exchanges de criptomoedas devem observar as políticas do Know Your Customer e relatar quaisquer transações suspeitas ao regular canadense; Isso também inclui manter registros de seus clientes e contratar um diretor de conformidade para sua plataforma.

Um relatório do The Globe and Mail observa que, até agora, o cumprimento dessas políticas tem sido voluntário, mas algumas exchanges decidiram fazê-lo de qualquer maneira. 

A motivação para implementar as novas políticas é, supostamente, ter os bancos canadenses em cooperação com as exchanges de criptomoedas.

De acordo com Lori Stein, sócia do escritório de advocacia Osler, Hoskin & Harcourt, as instituições financeiras canadenses têm se preocupado historicamente com o risco de lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo via exchanges de criptomoedas. Stein disse:

“A esperança é que agora haverá um requisito para registrar e cumprir, e supervisionar pelo FinTRAC, que os bancos e outras entidades financeiras estarão mais abertas para fornecer serviços e lidar com negócios em moeda virtual.”

No entanto, Stein ressalta que algumas exchanges internacionais podem não estar dispostas a cumprir as novas regras canadenses. Alguns outros especialistas supostamente concordam, dizendo que ter exigências regulatórias obrigatórias pode resultar em exchanges de criptomoedas que optam por sair do mercado canadense.

O CEO da blockchain startup Bitaccess, Moe Adham, disse ao The Globe and Mail: "Espero ver um número de empresas realocadas fora do Canadá, assim como firmas internacionais limitando o acesso aos canadenses".

As novas políticas regulatórias também podem levar as exchanges de criptomoedas a trocar clientes, dizem alguns. “Isto tem o potencial para conduzir as criptomoedas ao subterrâneo novamente", disse o responsável por políticas de AML na exchange canadense de Coinsquare, Charlene Cieslik. Cieslik disse que os clientes que não querem revelar a sua informação para as exchanges, provavelmente só querem transacionar com o outro diretamente.

Como relatado anteriormente pela Cointelegraph, foi assinado em 2014 um projeto de lei que exigia que algumas entidades estrangeiras se registrassem no FinTRAC para pagamentos com Bitcoin ( BTC ).