Comité bancário do Senado dos EUA pressiona Facebook por informações sobre projeto cripto

O Comitê de Bancos, Habitação e Assuntos Urbanos do Senado dos Estados Unidos está em busca de mais informações sobre o especulado projeto de criptomoeda do Facebook. O comitê dirigiu-se ao fundador e CEO Mark Zuckerberg em uma carta em 9 de maio.

Em uma série de questões, o Senado destaca certos aspectos de proteção ao consumidor, perguntando a Zuckerberg como a empresa planeja proteger as informações financeiras dos clientes. O comitê também pergunda a Zuckerberg se o Facebook vende ou compartilha informações de consumidores com terceiros não-afiliados.

A gigante da social media esteve envolvida em polêmica no ano passado, quando foi alvo de diversos escândalos envolvendo a privacidade de dados dos usuários. Em abril de 2018, o próprio Zuckerberg testemunhou no congresso sobre as práticas da empresa. Os legisladores canadenses também convocaram Zuckerberg a testemunhar, depois que descobriram que o Facebook havia violado as leis de privacidade do país.

O comitê ainda pergunta se o Facebook tem acesso a posição de crédito, capacidade de crédito individual ou informações que possam afetar sua capacidade dos usuários de obter crédito.

Rumores de uma “Facebook Coin” começaram em dezembro de 2018 depois de uma matéria da Bloomberg, que dizia que o Facebook estava fazendo um token para uso no WhatsApp para o mercado de remessas na Índia.

Em fevereiro, o New York Times noticiou que o token seria usado em múltiplas plataformas, incluindo o próprio Facebook e o Instagram. Fontes anônimas disseram que o Token seria uma stablecoin atrelada a uma moeda fiduciária.

O Facebook estaria buscando investimento de US$ 1 bilhão para o projeto de token das grandes redes de pagamento Visa e MasterCard.