Think Tank do Congresso dos EUA afirma que o Bitcoin é usado principalmente como "veículo de investimento"

O Bitcoin (BTC) e as criptomoedas são usados ​​como uma ferramenta de investimento especulativa e não são dinheiro, afirmou um report de um think tank dos Estados Unidos, o Serviço de Pesquisa do Congresso (CRS), em 10 de maio.

Como parte de uma investigação sobre o uso de dinheiro vivo nos EUA, o relatório, chamado "O Potencial Declínio no Uso de Dinheiro Vivo e Implicações Relacionadas", parece prever uma redução no papel-moeda, à medida que cresce o volume de pagamentos com cartão contactless.

Os pesquisadores também analisaram outras formas de pagamento, incluindo a criptomoeda, seja ela pública, privada ou emitida por um banco central.

Tomando o Bitcoin como principal exemplo, o CRS, entretanto, tira conclusões que se tornaram comuns entre as fontes do governo.

“Embora os dados de preço do Bitcoin ilustrem o interesse público e a demanda geral por essa criptomoeda, a frequência com que é trocado por bens e serviços (ou seja, com que frequência está sendo usado como dinheiro) é um indicador ruim”, diz o relatório, que prossegue:

"Certas análises parecem mostrar que as moedas digitais não estão sendo amplamente usadas nem aceitas como pagamento por bens e serviços, mas sim como veículos de investimento".

Como o Cointelegraph relatou, a análise da empresa de software DataLight no mês passado pintou um quadro totalmente diferente, alegando que o Bitcoin já estava preparado para usurpar o posto dos pagamentos em dinheiro e em cartões em todo o mundo. Tudo o que é necessário, dizem os autores, é que o desenvolvimento do Bitcoin continue em sua veia atual.

“Caso mantenha esse ritmo, em mais 10 anos, ele ultrapassará toda a concorrência”, resume.

Outros permanecem menos convencidos, com o empreendedor e ferrenho defensor do ouro Peter Schiff examinando extensivamente o futuro potencial do Bitcoin como dinheiro junto com o autor do "The Bitcoin Standard", Saifedean Ammous, em um debate on-line na semana passada.

Enquanto isso, um dia antes da publicação do relatório do CRS, o senador americano Brad Sherman pediu que Washington banisse a criptomoeda por medo de que ela contribuísse para minar o poder político dos EUA.