Regulador britânico fica responsável por fiscalizar compliance de negócios ligados às criptomoedas

A Autoridade de Conduta Financeira (FCA) da Grã-Bretanha agora monitora a lavagem de dinheiro (AML) e o financiamento contra o terrorismo (CTF) para empresas que realizam atividades relacionadas às criptomoedas.

De acordo com um anúncio oficial, publicado em 10 de janeiro, a FCA supervisionará se as empresas registradas no Reino Unido, envolvidas em operações relacionadas a criptoativos, estão em conformidade com os regulamentos e requisitos relevantes.

Lista de requisitos para empresas de criptomoeda

Além disso, a FCA estabeleceu uma lista de requisitos para negócios relacionados a criptomoedas, que incluem a identificação e avaliação de riscos, desenvolvimento de políticas e controles para eliminar os riscos associados à AML e CTF e outros.

"Supervisionaremos proativamente a conformidade das empresas com os novos regulamentos e tomaremos medidas rápidas quando as empresas ficarem aquém dos padrões desejados e causarem riscos à integridade do mercado", afirmou o anúncio.

Drama da criptomoeda na Grã-Bretanha

Em julho de 2018, a FCA alertou que as criptomoedas representam um risco enorme para os consumidores que geralmente são mal informados sobre elas, e recomendou que produtos como derivativos e notas negociadas em bolsa, que referenciam ativos digitais, sejam "inadequados" para pequenos investidores.

Embora a FCA ainda esteja considerando a restrição de derivativos de criptomoeda para investidores do varejo, concluiu que as principais criptomoedas são "exchanges tokens", que são "geralmente descentralizados e usados principalmente como meio de troca".

Na época, o regulador enfatizou que essas moedas digitais não se enquadram no escopo regulatório da FCA e estão fora de seu alcance regulatório.

No final de novembro do ano passado, Piers Ridyard, CEO do Radix, disse ao Cointelegraph que as autoridades do Reino Unido são relativamente abertas à inovação e observou:

“A FCA tem sido progressiva em suas opiniões sobre criptomoeda há anos; incluindo monitoramento e permissão de testes da tecnologia em ambientes controlados antes que sejam necessárias licenças regulatórias. O Reino Unido geralmente se vê como um líder Fintech, e a FCA vê parte de seu trabalho como 'não atrapalhando a inovação.'”