Telegram, que está no top 10 dos apps de mensagens, planeja lançamento da plataforma blockchain em março: Fontes

O aplicativo de mensagens global Telegram planeja lançar mainnet e token de sua plataforma baseada em blockchain Telegram Open Network (TON) já em março de 2019. A notícia foi revelada à Cointelegraph por uma fonte próxima ao fundador e CEO da Telegram, Pavel Durov hoje, 23 de janeiro.

O Telegram - que supostamente conta com mais de 200 milhões de usuários ativos por mês, colocando-o entre os dez aplicativos de mensagens mais populares do mundo - arrecadou quase 1,7 bilhão de dólares em duas rodadas privadas de oferta inicial de moedas (ICO) para o Telegram e sua futura plataforma TON.

A fonte da Cointelegraph enfatizou que Durov estava relutante em confirmar uma data concreta para a liberação da TON e que a estimativa de março continua sujeita a mudanças.

De acordo com uma outra reportagem da mídia de negócios russa The Bell, a equipe de Durov disse aos investidores que a TON está 90% pronta, mas que os atrasos são possíveis devido à "natureza inovadora do desenvolvimento".

Conforme relatado, os detalhes divulgados até agora sugerem que a TON terá como objetivo funcionar como "nova maneira de trocar dados", e será impulsionada pela criptomoeda nativa da plataforma, apelidada de "Gram".

Conforme relatado em maio de 2018, o sucesso impressionante da pré-venda da Telegram levou a empresa a decidir posteriormente cancelar uma ICO pública que havia sido programada para mais tarde em 2018.

Apesar dos boatos de que o bilionário russo e ex-proprietário do Chelsea FC Roman Abramovich apoiou o projeto, apenas dois empresários - o cofundador do serviço de pagamento Qiwi, Sergei Solonin, e o cofundador da gigante de laticínios Wimm-Bill-Dann, David Yakobashvili - confirmaram publicamente seus investimentos até o momento.

Após as notícias de que a TON estava “70% pronta” em outubro passado, o governo do Irã intensificou suas restrições ao aplicativo de mensagens, declarando que qualquer cooperação com o aplicativo para lançar seu token Gram seria considerada um ato contra a segurança nacional e uma disrupção a economia nacional. O Irã impôe uma série de proibições contra o Telegram desde abril de 2018.

O aplicativo também foi bloquado na Rússia - local de nascimento de Durov - em abril de 2018, oficialmente devido à recusa de Durov em compartilhar as chaves de criptografia do aplicativo com as autoridades, em conformidade com uma lei local de telecomunicações. De acordo com os dados no momento do bloqueio, cerca de 10 milhões de usuários do Telegram estão na Rússia.