Irmãos Durov apresentam petição do Telegram e TON à SEC e relatos dizem que US $ 850 milhões já foram arrecadados

Os criadores do Telegram, Pável e Nikolai Durov, apresentaram um "Aviso de oferta isenta de valores mobiliários” junto à Comissão de Títulos e Câmbio (SEC) em 13 de fevereiro, informando que US $ 850 milhões foram arrecadados de 81 investidores sob a Regra 506(c) de isenção da SEC de para "o desenvolvimento do TON Blockchain, desenvolvimento e manutenção do Telegram Messenger".

O tipo de valores mobiliários oferecidos na apresentação à SEC são descritos como "Contratos de Compra para Criptomoeda" e estão arquivados de acordo com a Regra 506(c) de isenção que significa que os cidadãos dos EUA que investem devem ser investidores credenciados — aqueles que possuem mais de US $ 1 milhão ou que tenham uma renda anual de US $ 200 000 — para que os tokens não tenham que ser registrados na SEC como títulos.

A Eastman Kodak Company, que anunciou o lançamento de sua própria ICO abrigada na mesma isenção no início de janeiro de 2018, adiou sua ICO para levar mais tempo para verificar o status credenciado dos seus investidores.

A data da primeira venda para a ICO dos Durovs é registrada em 29 de janeiro deste ano. Ao apresentarem à SEC, os Durovs estão se preparando em permitir que os cidadãos dos EUA invistam legalmente em seu projeto e implicando que os cidadãos dos EUA possam de fato ser alguns dos 81 investidores.

Embora a apresentação à SEC não contenha o nome de qualquer investidor na oferta de valores mobiliários dos Durov, o site de notícias russo Vedomosti revelou hoje os alegados nomes de alguns dos maiores investidores, citando fontes internas.

O bilionário russo Roman Abramovich, que supostamente já investiu em criptomoeda, teria sido um dos primeiros cidadãos russos a ser aprovado para investir no projeto. Uma fonte supostamente próxima ao bilionário disse à Vedomosti que Abramovich havia investido cerca de US $ 300 milhões, porém outra fonte afirmou que a soma estava mais próxima de US $ 20 milhões.

Sergei Solonin, CEO do provedor de serviços de pagamento russo QIWI, investiu US $ 17 milhões, escreve a Vedomosti. David Yakobashvili, cofundador da empresa russa de produtos lácteos Wimm-Bill-Dann, disse à publicação que investiu US $ 10 milhões no projeto.

Uma ICO do Telegram tem sido especulada desde dezembro de 2017, quando um ex-funcionário do Telegram escreveu on-line que a empresa lançaria sua própria plataforma Blockchain e de criptomoeda, chamada "The Open Network" ou "Telegram Open Network" (TON) .

Um livro branco, alegadamente da TON, foi vazado na metade de janeiro, mas sua autenticidade ainda não foi confirmada publicamente pelos irmãos Durov.

O pedido de Durov junto à SEC apresenta dois emissores de títulos, a TON Issuers Inc. e o Telegram Group Inc., ambas localizadas nas Ilhas Virgens Britânicas. Na seção "Pessoas relacionadas" da apresentação, Pável Durov está listado como Gerente Executivo e Diretor, enquanto seu irmão Nikolai está apenas listado como Gerente Executivo.

Uma fonte familiarizada com o financiamento da TON disse à Vedomosti que o processo de financiamento não foi conduzido como uma ICO no "sentido comum", no qual os tokens de um projeto são comprados por outra criptomoeda, geralmente Bitcoin (BTC) ou Ethereum (ETH). Em vez disso, a fonte afirma que era mais como uma "alocação fechada de títulos em moeda corrente [de fiat] - dólares e euros".

Segundo a mesma fonte, e de acordo com a petição à SEC dos irmãos, os investidores compraram direitos sobre a criptomoeda interna da TON, chamada "Grams", que será enviada a eles uma vez que a plataforma seja lançada.