Governo russo vai bloquear o favorito da comunidade cripto, o Telegram, 'em um futuro próximo'

As autoridades russas exigiram que os ISPs banissem o serviço de mensagens criptografadas da indústria de criptos,o Telegram na sexta-feira, 13 de abril, apenas algumas semanas após o projeto ter levantado US$1,7 bilhão em sua pré-venda ICO para apoiar o desenvolvimento de sua própria plataforma Blockchain.

Como vários noticiários locais relatam, a decisão do Tribunal Distrital de Tagansky em Moscou significa que a organização de monitoramento de internet do Kremlin, Roskomnadzor, agora forçará ISPs domésticos a bloquear o acesso ao Telegram "em um futuro próximo".

"Estamos falando de dias, talvez horas, talvez minutos", disse o diretor do Roskomnadzor, Aleksander Glazov,ao TASS.

Após a breve audiência, o CEO da Telegram, Pavel Durov, divulgou palavras de luta em seu canal pessoal e em mídias sociais, escrevendo que a liberdade “não estava à venda”, continuando:

“Na Telegram, temos o luxo de não nos importar com fluxos de receita ou vendas de anúncios. A privacidade não está à venda e os direitos humanos não devem ser comprometidos por medo ou cobiça.”

No Instagram, uma foto de Durov apareceu cavalgando pelo deserto junto com a descrição: "Para ser verdadeiramente livre, você deve estar pronto para arriscar tudo pela liberdade."

Durov impediu que os advogados do próprio Telegram participassem da audiência, por ser, em suas palavras, uma "farsa".

No final de março de 2018, a Telegram anunciou um registro de 200 milhões de usuários ativos para o mês anterior. Cerca de 10 mi dos usuários do Telegram estão na Rússia e, portanto, serão afetados pela proibição.

Apesar da grande base de usuários, o serviço de mensagens enfrentou uma série de dificuldades desde que anunciou e lançou as primeiras fases de sua ICO. Duas pré-vendas silenciosas gerando, de acordo com boatos, US$1,7 bilhão receberam tal publicidade que uma série de operações fraudulentas organizadas enganaram os usuários desavisados dos fundos em moeda digital, apesar da ICO pública da Telegram ainda não estar ativa.

Enquanto isso, na Rússia, vários meios de comunicação publicaram opções para que os usuários evitem o bloqueio, algo que é relativamente fácil de fazer através do uso de serviços VPN.

Certas implementações do Telegram, como o aplicativo móvel, são mais difíceis de serem cortadas do que outras.

Da mesma forma, apesar do governo ucraniano ter bloqueado a bem conhecida rede social do Durov, a VKontakte, em maio de 2017, os usuários continuam usando-a via aplicativo móvel.