Suposta pirâmide financeira com Bitcoin, STM Investimentos, tem sigilo bancário quebrado em investigação

A suposta pirâmide financeira, STM Investimentos, está sendo investigada pela Justiça por conta de suas atividades e teve o sigilo bancário da empresa quebrado por conta das investigações, conforme aponta reportagem do Livecoins, publicada em 25 de junho.

Segundo a reportagem, a suposta pirâmide, teria lesado cerca de 7 mil pessoas com suas atividades que prometiam retornos financeiros de até 31% ao mês, por meio de aplicações, trader e arbitragem de Bitcoin e criptomoedas.

Após supostamente enganar os investidores da STM, o dono e principal operador do esquema, Saulo Roque, teria sumido sem honar os compromissos estabelecidos, o que motivou a abertura de diversos processos e ações judiciais, como a citada que determina a quebra do sigilo bancário.

“Investidores com seiscentos mil reais, um milhão. Pessoas que venderam casas, carros, pessoas que pediram dinheiro emprestado para agiotas. Para poder investir. Eu mesmo pedi dinheiro emprestado, eu não tinha. Eu pedi emprestado. É pouco, mas é meu”, cita a reportagem destacando a fala de um suposto investidor.

Como reportou o Cointelegraph, enfrentando diversos problemas, usuários da NegocieCoins criaram cerca de oito grupos espalhados em redes sociais que negociam os "Bitcraudios" como foram apelidados os Bitcoins que estão presos nas exchanges do Grupo Bitcoin Banco dentro de um sistema chamado Fortknoks. Nestes grupos, investidores chegam a vender 1 Bitcoin por menos de US$ 150 ou R$ 500.