Estudo: Blockchain reduz US$ 450 bilhões em custos da cadeia de suprimentos na Europa

A implementação da tecnologia blockchain nas cadeias de suprimentos pode economizar para as empresas na Europa Ocidental US$ 450 bilhões em custos relacionados à logística.

De acordo com um novo estudo do Cointelegraph Consulting e da empresa suíça Insolar, a tecnologia blockchain pode reduzir os custos relacionados à cadeia de suprimentos entre 0,4% e 0,8%.

Embora isso possa parecer um número pequeno, o grande volume do setor significa que esse percentual se traduz em centenas de bilhões de dólares em economia. Além disso, o relatório afirma que a tecnologia se pagará por si mesma:

“94% dos líderes da cadeia de suprimentos dizem que a transformação digital alterará fundamentalmente o gerenciamento da cadeia. Na transição para a indústria 4.0, as empresas podem esperar um aumento bruto de 25% (no retorno sobre o capital empregado) até 2035.”

No estudo conjunto, o Cointelegraph Consulting e a Insolar pesquisam os problemas que as empresas enfrentam no gerenciamento de suas cadeias de suprimentos, afirmando que 60% das empresas pagam mais que seus fornecedores. E 70% das empresas têm "lacunas de visibilidade" entre os sistemas do fornecedor inicial e dos clientes internos, dificultando ou impossibilitando o rastreamento das fontes da cadeia de suprimentos.

A tecnologia atual não pode resolver problemas da cadeia de suprimentos

De acordo com o estudo, as soluções tecnológicas atuais, como o planejamento de recursos empresariais e os bancos de dados tradicionais, estão mal equipados para lidar com questões contemporâneas da cadeia de suprimentos. Um motivo: quase 80% dos dados corporativos são isolados e propensos a uma integridade reduzida. O estudo afirma:

“A abordagem do banco de dados falha em fornecer um compartilhamento de dados relacionados à cadeia de suprimentos, o que é crucial para que as contrapartes, que não confiam uma na outra, obtenham informações sobre um determinado produto, preço, condições de entrega, etc. As informações nem sempre estão atualizadas e alguns dados podem estar ocultos.”

O fundador da Insolar, Peter Fedchenkov, observa que a adoção da blockchain não arrancará necessariamente os sistemas de TI atuais, afirmando que ela pode ser aplicada em conjunto com a infraestrutura existente. Ele disse ao Cointelegraph

“Quando as pessoas pensam sobre blockchain, há um equívoco de que seja um novo paradigma, que exige uma mudança total nos negócios. Acreditamos que isso esteja errado, e oferecemos uma abordagem para complementar as infra-estruturas de TI existentes usando nossa plataforma blockchain.”

O Cointelegraph Consulting, lançado em 3 de dezembro, tem como objetivo auxiliar a adoção da blockchain entre pequenas e médias empresas, combinando-as com soluções corporativas de blockchain aplicáveis às suas operações.

Blockchain é um benefício para cadeias de suprimentos

A tecnologia Blockchain teve ampla adoção nas cadeias de suprimentos de vários produtos, incluindo diamantes, metais raros, itens de moda e alimentos. De acordo com a grande empresa de varejo norte-americana Walmart, tecnologias de contabilidade distribuída, como a blockchain, facilitam para a empresa recuperar remédios problemáticos ou itens alimentares, se necessário.

Na semana passada, a empresa de auditoria Big Four KPMG lançou uma plataforma de rastreamento baseada em blockchain na Austrália, China e Japão.

Recentemente, o Carrefour e a Nestlé se juntaram à plataforma Food Trust da IBM, para rastrear a cadeia de suprimentos, com tecnologia blockchain, de uma fórmula à base de leite para bebês.

Em agosto, o Cointelegraph informou que o segundo maior estado indiano estava preparando-se para testar blockchain em várias aplicações, incluindo cadeias de suprimentos, marketing agrícola, registro de veículos e gerenciamento de documentos.