Plataforma blockchain apoiada pela IBM vai melhorar o gerenciamento da cadeia de suprimentos na indústria de mineração

A IBM firmou uma parceria com a MineHub Technologies para fornecer uma solução blockchain que melhorará o gerenciamento da cadeia de suprimentos na indústria de mineração e metais. A IBM anunciou a iniciativa em um comunicado de imprensa publicado em 16 de janeiro.

A MineHub é uma empresa que utiliza tecnologias, incluindo a blockchain, para desenvolver aplicativos de economia de custos para a indústria de metais e mineração. A recém-anunciada plataforma da cadeia de suprimentos de mineração será construída sobre a plataforma IBM Blockchain baseada em nuvem, equipada com o Hyperledger Fabric da Linux Foundation.

A solução visa sanar as ineficiências do mercado global de mineração e metais - que é estimado em US $ 1,8 trilhão. Isso inclui excesso de papelada, processamento manual de dados e falta de transparência entre as partes da cadeia de suprimentos. Também será projetado para melhorar a logística e o financiamento, além de reduzir custos.

As empresas vislumbram a digitalização da cadeia de suprimentos por meio da criação de um ledger compartilhado entre as partes que fornecerá uma visão agregada e em tempo real das transações e dos dados que fluem pela cadeia de fornecimento e só será aberto a participantes autorizados.

Isso "aumentará o nível de automação, reduzirá a dependência de intermediários e aumentará a velocidade com que as mercadorias são transferidas das mineradoras para os compradores finais", sugere a publicação.

O desenvolvimento da plataforma também será apoiado por outras empresas, como a produtora de ouro Goldcorp Inc., o ING Bank, a empresa de exploração mineral Kutcho Copper Corp., a trading Ocean Partners USA Inc., e a Wheaton Precious Metals Corp. um consórcio formado pela MineHub.

O primeiro caso de uso será construído na plataforma MineHub, gerenciando o concentrado da Mina Penasquito, da Goldcorp, localizada no México em seu caminho pelo mercado. Quando o minério é extraído, a empresa de mineração carregará os dados relevantes, incluindo sustentabilidade e práticas éticas.

Hoje a Cointelegraph reportou que a IBM usará sua plataforma blockchain para monitorar suprimentos de cobalto da República Democrática do Congo, em colaboração com a montadora Ford, a produtora sul-coreana LG Chem e a chinesa Huayou Cobalt.

Em setembro, a varejista de jóias Chow Tai Fook de Hong Kong teria colocado registros de alguns de seus diamantes em uma versão distribuída desenvolvida pela Everledger, uma startup da blockchain, e protegida pela IBM Blockchain Platform. Isso permitirá que os clientes do varejista verifiquem a origem e a autenticidade das gemas vendidas em suas lojas da marca T Mark.