Projeto piloto blockchain de IBM e Ford visa suprimento de cobalto da República Democrática do Congo

A gigante global de tecnologia IBM usará sua plataforma blockchain para monitorar e rastrear suprimentos de cobalto da República Democrática do Congo, confirmou a empresa em um comunicado de imprensa em 15 de janeiro.

A IBM, que já utilizou a plataforma blockchain interna IBM, construída sobre o Hyperledger Fabric, em vários ambientes de casos de uso, agora terá como alvo os suprimentos em rápida expansão do cobalto necessários para carros elétricos e dispositivos de consumo.

O esquema será executado em conjunto com a empresa automobilística Ford, a fabricante sul-coreana de cátodos LG Chem e a chinesa Huayou Cobalt. A RCS Global, uma empresa multinacional responsável pela terceirização, também vai monitorar os procedimentos.

"Com a crescente demanda por cobalto, esse grupo se uniu com objetivos claros para ilustrar como a blockchain pode ser usada para maior segurança em torno da responsabilidade social na cadeia de fornecimento de mineração", comentou o gerente geral da Manufatura Global de Produtos Industriais da IBM, Manish Chawla no lançamento. Chawla acrescentou:

“O trabalho inicial dessas organizações será usado como um precedente para que o restante da indústria seja ampliado para ajudar a garantir a transparência em torno dos minerais que entram em nossos bens de consumo.”

Um projeto piloto já está em andamento, disseram os participantes, abordando a necessidade de garantir que as empresas da cadeia de suprimentos recebam suas matérias-primas de forma responsável.

O Congo, onde está a maior parte dos suprimentos mundiais de cobalto, é atualmente um país altamente instável, com insurgências e violência comuns. O esquema blockchain deve, portanto, abordar questões relativas ao trabalho infantil ou exploração similar, observa o comunicado de imprensa.

"Continuamos comprometidos com a transparência em toda nossa cadeia global de fornecimento", continuou Lisa Drake, vice-presidente de operações globais de compra e de motores da Ford, acrescentando:

“Ao colaborar com outras indústrias líderes nessa rede, nossa intenção é usar tecnologia de ponta para garantir que os materiais produzidos para garantir que nossos veículos cumpram com nosso compromisso de proteger os direitos humanos e o meio ambiente.”

Os planos são apenas uma parte da integração total de blockchain da IBM. No início deste mês, a Cointelegraph relatou como o outro projeto da empresa, o TradeLens, também havia visto uma implementação adicional com a Arábia Saudita visando o comércio transfronteiriço.