Gigante telecom da Coreia do Sul KT lança banda 5G baseada em DLT para prevenir hacks

A KT Corporation, maior telecom da Coreia do Sul, lançou sua rede de quinta geração (5G) baseada em blockchain, segundo publicou a agência local The Korea Times em 16 de abril.

Chamada de “GiGA Chain,” a marca busca impulsionar a segurança de dispositivos Internet-of-Things (IoT) e protegê-los de cyberataques, segundo o texto.

Como parte da nova rede, a  KT desenvolveu a tecnologia GiGA Stealth que previne ataques de hackers ao ao esconder virtualmente os endereços de IP de dispositivos IoT conectados. De acordo com o texto, a tecnologia blockchain torna os IPs virtualmente invisíveis aos hackers.

Lee Dong-myeon, presidente do futuro grupo de negócios de plataformas na KT, disse que a empresa decidiu aprimorar as garantias da sua cybersegurança usando blockchain em meio aos riscos da crescente vulnerabilidade de hackers dos dispositivos IoT associados à era 5G. No artigo, a KT argumentou que os ataques de hackers aos dispositivos de IoT são responsáveis por 99% dos ataques gerais de hackers.

Como parte do anúncio, a KT também introduziu uma Blockchain-as-a-Service (BaaS) GiGA Chain que permite a organizações o uso de aplicações baseadas em blockchain para implementar recursos importantes na blockchain, incluindo contratos inteligentes, que permitem às empresas operar transações sem envolvimento de intermediários.

A KT adicionou que sua tecnologia blockchain pode ser usada para a digitalização de vouchers que governos locais emitam para seus residentes. De acordo com a publicação, a cidade sul-coreana de Gimpo já usa o sistema de pagamentos baseado em blockchain desde abril. O projeto foi revelado na metade de fevereiro, com a cidade de Gimpo planejando emitir mais de US$ 9,7 milhões em valor na croptomoeda da KT, chamada “K token,” por ano.

No começo de abril, a loja de pesquisa de mercado global Research and Markets publicou relatório dizendo que aplicações internacionais de blockchain em telecoms gerariam US$ 1,37 bilhões em receita até 2024.