Coreia do Sul colocará exchanges cripto sob sua regulação direta

A Unidade de Inteligência Financeira (UIF) da Comissão de Serviços Financeiros da Coreia do Sul revelou planos para trazer as exchanges de criptomoedas sob sua regulamentação direta.

Em 7 de agosto, a Business Korea informou sobre a decisão da UIF de abandonar sua prática atual de regular indiretamente as exchanges cripto fornecendo orientação administrativa aos bancos domésticos.

Abandonando a regulamentação indireta

A fim de trazer as exchanges cripto para o sistema regulatório do país, um oficial da UIF revelou em 6 de agosto que o governo sul-coreano vai introduzir um sistema de licenciamento de exchanges cripto, como recomendado pelo Grupo de Ação Financeira Internacional (FATF-GAFI). Isso aumentará a transparência das transações de criptomoeda.

Em uma audiência pública realizada no Escritório da Assembleia Nacional em Seul, Lee Tae-hoon - que atua como chefe de administração e planejamento da UIF - declarou:

"Se uma emenda à Lei sobre Relatórios e Uso de Certas Informações sobre Transações Financeiras, que reflete os padrões internacionais do FATF-GAFI para cripto, for aprovado pela Assembleia Nacional, será possível impedir a lavagem de dinheiro por meio de criptomoedas".

Lee acrescentou que se os legisladores aprovarem a decisão de abandonar a “regulamentação indireta através de bancos comerciais para regulamentar diretamente”, a supervisão do setor seria mais eficaz.

Os traders notaram que as emendas regulatórias precisariam integrar as estipulações existentes, as quais sustentam que os bancos devem emitir contas de nome real para as exchanges cripto.

Isso garantiria que as exchanges cripto aderissem aos mesmos padrões de conheça seu cliente e de combate à lavagem de dinheiro que as instituições financeiras tradicionais.

Impacto da orientação do FATF-GAFI

As notícias desta semana estão de acordo com relatos não oficiais recentes de que quatro exchanges cripto sul-coreanas estavam enfrentando regulamentações mais rigorosas enquanto tentavam renovar suas contas bancárias.

Os requisitos mais rigorosos foram supostamente impostos após a nova orientação do FATF-GAFI de junho de 2019 para fortalecer o controle sobre as exchanges cripto, a fim de melhor combater a lavagem de dinheiro.