Fundador da Shopin se declara culpado de orquestrar ICO fraudulenta de US$ 42 milhões

A procuradora-geral de Nova York (NYAG) Letitia James anunciou a condenação do fundador da Shopin, Eran Eyal, por orquestrar uma oferta inicial de moedas (ICO) fraudulenta após sua declaração de culpa.

Como a NYAG anunciou em 12 de dezembro, o ex-CEO da Shopin se declarou culpado de acusações criminais por executar uma oferta inicial de moedas fraudulenta que arrecadou mais de US$ 42 milhões entre agosto de 2017 e abril de 2018.

Eyal também se declarou culpado de fraudar investidores em US$ 600.000 por enganar a equipe e os clientes de sua startup anterior, a Springleap.

Rápida reviravolta no tribunal

Nesta quarta-feira, a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (Securities and Exchange Commission (SEC) acusou Eyal de fraudar centenas de investidores em um golpe de ICO. Segundo a SEC, as ações de Eyal constituíram uma oferta não registrada de valores mobiliários da Shopin Tokens.

A SEC alegou ainda que Eyal também se apropriou de fundos de investidores para pagar despesas pessoais. A procuradora-geral James comentou a condenação:

“Meu departamento não permitirá que criminosos de colarinho branco escapem com seus esquemas para fraudar vítimas inocentes, não importa quão complexo sejam [...] Este indivíduo criou empresa após empresa após empresa apenas para continuar enganando os investidores de centenas de milhares de dólares. Usando testes de produtos falsos e contratos com os principais varejistas que simplesmente não existiam, ele conseguiu atrair as vítimas para investir em seus esquemas de tecnologia, incluindo sua própria criptomoeda. Usaremos todos os recursos disponíveis a nossa disposição para ir atrás de todos os que tentarem abusar e manipular o sistema, porque ninguém está acima da lei.”

Apesar da fala dura da procuradora-geral, o tribunal parece não ter recomendado a prisão. O tribunal ordenou que Eyal pagasse US$ 125.000 em restituição, US$ 475.000 em julgamentos a investidores e que devolvesse os US$ 450.000 restantes em criptomoeda ao departamento da NYAG.

O morador do Brooklyn terá de deixar o cargo de CEO da Shopin e está proibido de arrecadar capital ou de atuar como diretor de uma empresa em Nova York por três anos.

SEC quer reabrir caso contra fraudador de Bitcoin

O Cointelegraph informou recentemente que a SEC entrou com uma ação para reabrir um caso contra o fraudador de Bitcoin (BTC) Renwick Haddow, pois ele não resolveu as reclamações do regulador que havia pedido por um alívio monetário.

No ano passado, a SEC acusou Haddow de fraudar investidores de Bitcoin em mais de US$ 37 milhões. O tribunal o considerou culpado em junho de 2019.