Exchange SBIVC da SBI registra lucro em primeiro ano fiscal e planeja STO

A nova exchange japonesa SBI Virtual Currencies (SBIVC) conseguiu lucrabilidade em seu primeiro ano desde o lançamento, conforme o  Cointelegraph Japan publicou em 26 de abril.

A exchange SBIVC, lançada pela gigante de serviços financeiros baseada em Tóquio SBI Holdings, teria registrado lucro livre de impostos de quase 360 milhões de Yens (US$ 3,2 milhões) para o primeiro ano fiscal completo, de abril de 2018 a 31 de março de 2019.

SBI também fez uma série de anúncios em seu relatório financeiro. Nele, a SBI revela que considera lançar uma oferta de security token (STO) ainda neste ano, completando dizendo que a empresa espera revisão do Financial Instruments and Exchange Act, que está previsto para junho de 2019.

Além disso, a SBI diz que planeja continuar a expansão de seu braço de mineração cripto recentemente estabelecido SBI Mining Chip (SBIMC), esperando um aumento na taxa hash de mineração.

O SBI também diz que vai continuar a fortalecer seu relacionamento com a Ripple, sua maior parceira cripto, empresa por trás da terceira maior criptomoeda por valor de mercado, o XRP. Além disso, Yoshitaka Kitao, CEO e diretor representante da SBI, recentemente foi indicado executivo da Ripple Labs e reforçou seu desejo de ambas as empresas trabalharem juntas.

Anunciada pela primeira vez em abril de 2018, a SBI Virtual Currencies foi registrada comercialmente no fim de 2017, de acordo com dados do novo relatório financeiro da SBI. Como denota o relatório, a SBI Virtual Currencies foi ao ar em junho de 2018 com um número limitado de ordens, enquanto o registro de contas começou em julho de 2018.

Como noticiado anteriormente, a SBI Virtual Currencies inicialmente suportava grandes criptomoedas como Bitcoin (BTC), Ether (ETH), XRP e Bitcoin Cash (BCH). Na metade de abril, a exchange anunciou oficialmente seus planos de deslistar o Bitcoin Cash. Posteriormente, executivos da SBI esclareceram que a remoção do BCH da exchange não era resultado de outras deslistagens de diversas exchanges fora do Japão envolvendo o Bbitcoin SV (BSV) — uma polêmica hard fork de BCH.