Gigante de comércio eletrônico chinesa JD.com aplicou para mais de 200 patentes blockchain

A gigante de comércio eletrônico chinesa JD.com já aplicou para mais de 200 patentes de blockchain, segundo uma matéria do Securities Daily News de 20 de maio.

O texto também diz que a concorrente de e-commerce Alibaba aplicou para 262 patentes de blockchain, e as titãs da internet Tencent e Baidu candidataram-se a 80 e 50 dessas patentes, respectivamente, conforme registrado pelo Centro de Propriedade Intelectual da Informação e Comunicação da China.

De acordo com a interpretação dos dados fornecidos pelo Centro de Propriedade Intelectual da Informação e Comunicação da China, a JD.com estava em primeiro lugar para “força global de patentes blockchain”, com Alibaba, Tencent e Baidu chegando ao segundo, sétimo e décimo quinto lugar, respectivamente.

O relatório também observa que a China é a precursora global em aplicações blockchain. De 2013 a 2018, a China teria registrado 4.435 pedidos de patentes blockchain, o que representa 48% dos registros globais de patentes blockchain, conforme o "White Paper de Situação de Patentes Blockchain (Versão 1.0)" publicado pelo site oficial da China Telecom.

O segundo em número de patentes é os Estados Unidos, que teria registrado 1.833 patentes no total, ocupando 21% do espaço global de patentes.

O Securities Daily diz que, com a quebra de registros de patentes pela indústria, as empresas representaram 75% dos candidatos, superando largamente a quantidade apresentada por instituições de pesquisa, indivíduos e agências governamentais. Desses 75%, o relatório observou que a maioria das empresas que aplicaram estavam relacionadas à Internet.

O Centro de Propriedade Intelectual da Informação e Comunicação da China também observa que as violações de propriedade intelectual têm sido um problema no passado para as patentes de blockchain chinesas, e aconselha:

“Recomenda-se que o governo faça um bom trabalho na supervisão da indústria e na melhoria da qualidade das patentes. As empresas devem aumentar a conscientização sobre a proteção da propriedade intelectual e a prevenção de riscos, evitar investimentos infundados no campo de blockchain, a solicitação patentes de baixo valor e evitar futuros de blockchains. Houve um grande número de ações por violação neste campo.”

A JD.com lançøu uma plataforma de blockchain como serviço (BaaS) chamada JD Blockchain Open Platform em 2018, que permite a organizações otimizar a criação de blockchain e executar contratos inteligentes, de acordo com o relatório da Cointelegraph. O JD.com também ajudou a criar institutos de pesquisa de blockchain, como o Smart City Research Institute e um laboratório de pesquisa de blockchain.